Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A deputada estadual Cibele Moura (PSDB) voltou a defender, nesta quarta-feira (13), o adiamento das provas do Enem.  A parlamentar entende que manter o exame “é um ataque à educação brasileira”. A parlamentar já havia se posicionado em suas redes sociais e reafirma que o momento é de se pensar nos estudantes mais vulneráveis, que estão sem aula, suspensas por causa da pandemia do coronavírus, e em condições totalmente contrárias aos que estão estudando em casa, mas com todos os recursos tecnológicos possíveis.

“Precisamos pensar nos mais vulneráveis, que não possuem condição de estudar em casa e que estão fora de suas escolas”, afirma Cibele, para quem “insistir, neste momento, em manter o exame é um ataque à educação brasileira.
Para a parlamentar, “é necessário compreender que a realidade dos brasileiros é diferente entre si e, por isso, devemos pensar em todos”.

Apesar das mobilizações em contrário, o Ministério da Educação já anunciou que a data do exame não sofrerá alterações, colocando o Brasil na contramão das medidas adotadas no mundo. Só cinco países de 19 com provas similares, mantiveram o cronograma, segundo levantamento do Instituto Unibanco. No Brasil, o Enem será nos dias 1 e 8 de novembro.

Nesta quarta também o ministro Gurgel de Faria, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou analisar o pedido de adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A continuidade do calendário foi contestada devido à pandemia de coronavírus.