Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Mostrei, aqui nesse blog, na manhã de hoje, 13, uma declaração do secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, durante uma coletiva do governo estadual. 

 

Ayres havia dito que as pandemias são cíclicas e citou a China afirmando que “a cada 10 anos, 8 anos, a China inventa uma nova pandemia”. 

 

A declaração na íntegra é essa aqui:

 

“As epidemias são cíclicas. O que é que isso quer dizer? A cada 10 anos, a cada oito anos, a China inventa uma nova pandemia, como nós tivemos já outras em tempos passados. E a gente tem que está pronto. Preparados com esses novos investimentos, com a Saúde cada vez mais organizada e com o preenchimento dos vazios assistenciais. Esse é o nosso objetivo enquanto secretário aqui ao lado do governador”. 

 

Por meio de sua assessoria de imprensa, Ayres encaminhou uma nota a esse blog em que diz que ele mesmo se equivocou com uma palavra durante a entrevista. O secretário assume que realmente disse “a China inventa...”, mas que queria dizer “a China enfrenta...”.

 

Ele afirma que citou a China apenas como exemplo de um dos países que, ao longo do século, enfrentaram o início de uma epdemia e acabou se tornando pandemias. Por fim, o secretário pediu desculpas pelo equívoco na utilização da palavra “inventa”.

 

Aqui a nota encaminhada ao blog: “O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, esclarece que, durante coletiva on line na manhã desta quarta-feira (13), quando inspecionava as obras do Hospital Metropolitano de Maceió, ao anunciar a reforma do Hospital Helvio Auto, que se iniciará nos próximos dias, citou a China como o exemplo de um dos países que, ao longo do século, enfrentaram o início de uma epidemia que acabou se tornando epidemias mundiais. Por fim, ressalta que o respeito à ciência tem norteado as ações no enfrentamento da Covid-19 e pede desculpas pelo equívoco na utilização da palavra inventa, quando, na verdade, quis dizer enfrenta”.

 

Espero que a China desculpe o secretário. Eu não vi ofensa na declaração dele.