Foto: Secom/Maceió Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true UPA do Trapiche

Após a divulgação da primeira morte por Covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro do Trapiche, em Maceió, o Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), que administra o local divulgou nota esclarecendo os fatos relacionados ao atendimento do paciente.

Segundo o ISAC, o homem deu entrada na unidade pouco antes da 0h, por meio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e foi atendido assim que chegou, sendo encaminhado para a área restrita a casos suspeitos de Covid-19, com maior gravidade.

Conforme a nota, o procedimento de estabilização foi adotado e a coleta de material para exame foi realizada e enviada para o laboratório responsável pela análise.

O ISAC também esclareceu que “mesmo tendo recebido todo atendimento necessário”, o paciente não resistiu e faleceu, quase 2h depois, após complicações do seu quadro clinico.

Além da UPA do Trapiche, o ISAC também é gestor das unidades do Benedito Bentes, Irmã Dulce (Marechal Deodoro) e do Hospital IB Gatto (Rio Largo).

Leia a nota na íntegra:

O Instituto Saúde e Cidadania – ISAC, gestor das UPAs Trapiche da Barra, Benedito Bentes, Irmã Dulce (Marechal Deodoro) e do Hospital IB Gatto (Rio Largo) vem esclarecer os fatos relacionados ao atendimento do paciente, que faleceu na UPA Trapiche, com Covid-19.

O paciente deu entrada na unidade no dia 26 de março (quinta-feira), às 23h45, trazido pelo Samu.

Como a UPA Trapiche é uma unidade de atendimento de urgência e emergência, o paciente foi atendido assim que chegou.

A unidade possui um fluxo específico para atendimento de pessoas com suspeita de coronavírus, para o qual ele foi direcionado.

Após isso, foi submetido a consulta médica e encaminhado para a área restrita a casos suspeitos de Covid-19, com maior gravidade.

O procedimento de estabilização foi adotado e, em seguida, foi feita a coleta de amostra para envio ao Laboratório Central do Estado (Lacen), responsável pela análise.

Mesmo tento recebido todo o atendimento médico necessário na unidade, o paciente infelizmente não resistiu e faleceu à 1h52, do dia 30 de março, por causa do agravamento do quadro clínico, que já era grave.

Conforme consta em atestado de óbito, a causa da morte foi insuficiência respiratória aguda, provocada por Covid-19, baseando-se na história clínica do paciente, conforme preconiza o manual do Ministério da Saúde, para preenchimento da declaração e óbito.

Divulgação do Resultado

A UPA Trapiche tomou conhecimento do caso de modo extra-oficial e aguardou a divulgação oficial do Lacen para emitir essa nota.

Continuidade do Atendimento

O atendimento na UPA Trapiche, assim como nas demais unidade gerenciadas pelo Instituto ISAC, continua sendo feito normalmente, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

Os profissionais que tiveram contato com o paciente seguiram todas as diretrizes oficiais e usaram os equipamentos de proteção individual determinados.

Todos eles estão sendo monitorados e, caso apresentem sintomas, vão fazer o teste. Essa medida preventiva tem o objetivo de evitar resultados falso-negativos pela testagem precoce de Covid-19.

O Instituto ISAC ressalta que está à disposição para dar os esclarecimentos necessários à imprensa e à população, por intermédio da Assessoria de Comunicação da unidade.