Foto: Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Filho

Subiu para 17 os números de casos confirmados de Covid-19 em Alagoas. A informação foi passada pelo governador do estado, Renan Filho, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, neste domingo (29), onde ele comentou o 23º Boletim Epidemiológico. O número de casos suspeitos, até o momento, soma 294 e estão sendo acompanhados pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesau). 

Segundo dados do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), já foram descartados 264 casos, após exames laboratoriais. 

Dos casos confirmados em Alagoas, 13 residem no estado, sendo 12 na capital alagoana, e um em Porto Real do Colégio. Os outros quatro casos confirmados são dois pacientes que residem no estado do Rio de Janeiro e dois em Brasília.

Sobre o caso registrado em Porto Real do Colégio, o governador disse que a pessoa foi infectada apó ter contato com uma pessoa em Propriá, no estado de Sergipe.

Renan Filho também citou o caso suspeito de uma gestante, do município de Limoeiro de Anadia, que está internada com sintomas semelhantes aos da Covid-19. "Recolhemos a amostra e vamos testar para saber se é coronavírus", disse o governador.

O chefe do Executivo estadual também esclareceu que não há nenhum paciente com o vírus internado no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), nem no Hospital Geral do Estado (HGE), que só está disponível para os casos de urgência e emergência não relacionados ao novo coronavírus.

No Nordeste, há 720 casos confirmados de coronavírus e 13 pessoas morreram. Bahia, Piauí e Rio Grande do Norte, com uma morte cada. Ceará e Pernambuco já registram cinco mortes em cada Estado.

Conforme informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, neste domingo (29), já são 4.256 casos confirmados de Covid-19 no país, com 136 mortes em decorrência do vírus.

Alagoas não registra nenhuma morte por coronavírus.

Decreto de Emergência

Renan Filho também comentou a prorrogação do Decreto de Emergência no estado, por mais uma semana. Segundo o governador, ele tomou a decisão de seguir ouvindo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ministério da Saúde (MS), a equipe técnica de Alagoas e os demais especialistas em âmbito mundial.  “Não dá apara tomar uma decisão sem ouvir o que sugere as autoridades de saúde”, destacou o governador.

O chefe do Executivo Estadual afirmou que não tomou a decisão sozinho, que ouviu o Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, os governadores de outros estados, os empresários e economistas, para decidir prorrogar o Decreto de Emergência e garantir, assim, que a propagação do coronavírus não se alastre por Alagoas.

Entre as mudanças estabelecidas no novo decreto, estão o serviço de “Pegue e Leve” nos restaurantes e lanchonetes, onde os clientes poderão encomendar a comida e retirá-las nos respectivos estabelecimentos. Ficando proibido o consumo de comida e bebida no local.

Durante o prazo de suspensão de atividades, lojas e outros estabelecimentos comerciais também poderão funcionar por meio de serviços de entrega, inclusive por aplicativo. No entanto, está proibido, em qualquer caso, o atendimento presencial de clientes nas suas dependências.

O novo decreto restabelece o pleno funcionamento das atividades industriais e manteve até o dia 7 de abril a suspensão do funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres; de museus, cinemas e outros equipamentos culturais, públicos e privados; de templos, igrejas e demais instituições religiosas, sendo autorizado apenas o funcionamento interno.

O novo decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado e entra em vigor a partir da 0h desta segunda-feira (30). 

Na transmissão feita em sua residência, o governador ressaltou a importância do momento, disse que está seguindo as recomendações das autoridades de saúde e que não é infalível a erros, mas prefere errar por excesso.

"Esse momento é um momento que a gente precisa de união. Não é um momento fácil, pra ninguém, especialmente para os governantes. É um momento que a gente precisa ser transparente, ser sensato, ser honesto intelectualmente e eu queria dizer para os alagoanos o seguinte: vocês podem ter certeza que o governador Renan Filho, não é infalível a erros. Eu posso até errar, mas se eu errar tenho certeza absoluta que eu errarei tentando acertar, porque estou seguindo o procedimento, fazendo aquilo que outros estão fazendo, respeitando a ciência, nos precavendo ao máximo [...] Agora, se a gente tiver que errar, nós vamos errar por excesso de precaução", pontuou Renan Filho.

 

*Estagiários sob supervisão da editoria