Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Alynne Accioli

Considerando que a maioria das pessoas está em isolamento social e as redes sociais são o passatempo da maioria das pessoas, impossível não se deparar com memes ou piadas a respeito da pandemia do coronavírus.  Porém, como assimilar isso sem tirar a gravidade da situação e sem peso na consciência de estar “rindo de algo tão sério"?

O CadaMinuto conversou nesta quarta-feira, dia 25, com a psicóloga e psicoterapeuta Alynne Acioli Santos que, considerando que o brasileiro gosta de fazer piada de tudo, afirmou que neste momento é preciso ter leveza e se permitir sorrir.

Alynne explicou que é preciso ter leveza e manter o bom humor, mas esse humor precisa ser responsável também. Existem memes engraçados e leves, assim como existem memes ofensivos e distorcidos sobre a realidade. "O bom humor é necessário em momentos de crise, pois a alegria e a capacidade de crer no positivo nos auxiliam a manter a saúde mental, então considero positiva essa característica do brasileiro quando feita com responsabilidade".

No entanto, há pessoas que questionam o fato da "situação ser séria" e logo não se permitem ter um olhar mais leve e humorado. No entanto, a psicóloga afirma que “existe uma diferença entre fazer piada e manter-se otimista e bem humorado. Tendemos a ver a piada como algo ofensivo ou de mal gosto. O bom humor não precisa ser assim. Ele pode ser leve. Então olhar para uma situação séria, agir de acordo com a gravidade da mesma, tomando os cuidados e medidas preventivas que os técnicos da saúde estão orientando, não nos impede de manter o bom o humor e otimismo”

Mas é preciso ter limites, pois o humor com falta de respeito gera ainda mais tensão na sociedade, porque tende a polarizar as pessoas. O respeito ao próximo é uma das capacidades básicas que precisamos desenvolver para termos uma boa convivência em sociedade, faz parte do rol de habilidades sociais do ser humano, comentou Alynne.

A tensão que acompanha essa situação de crise é muito forte e tem levado muitas pessoas a desenvolverem sintomas de ansiedade e até pânico. Por isso é importante desenvolver estratégias protetivas também para a nossa mente.

Segundo a profissional, as ações vão variar de pessoa para pessoa de acordo com suas características pessoais, mas existem algumas estratégias que funcionam com a maior parte da população: resgatar e desenvolver a respiração diafragmática, técnicas de meditação e mindfulness, manter atividades que tragam a sensação de prazer e relaxamento (leituras, filmes jogos de tabuleiro...), práticas religiosas e espirituais, focar no positivo em detrimento das perdas e prejuízos, além da reestruturação cognitiva para os pensamentos distorcidos ou catastróficos. A maioria dessas técnicas pode ser realizada sem, necessariamente, o auxílio de um profissional, outras precisam de orientação do psicoterapeuta. Diante do momento atual, vários psicoterapeutas estão ofertando serviços de orientação e psicoterapia através da modalidade a distância, tanto pago como gratuitos. O importante nesse momento, é descobrir o que funciona para cada um e colocar em prática, concluiu Alynne Accioli.

Para outras dúvidas, siga Alynne no perfil @psicologa_alynneacioli