Foto: Thallysson Alves Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Infectologista diz que lavar as mãos com água e sabão substitui o álcool em gel

Pelo ar ou pelo contato. É assim que o novo coronavírus pode ser transmitido de pessoa em pessoa. Ficar em casa, isolado, é a melhor solução para quem deseja preservar a saúde da família e de toda a comunidade. Na falta de álcool em gel, a infectologista do Hospital Geral do Estado (HGE), Angélica Novaes, garante ser seguro lavar frequentemente as mãos com água e sabão, ao invés de se submeter a filas e esbarrões acidentais na busca pelo produto.

“O risco é invisível. Não precisa você presenciar um espirro ou tosse para concluir que pode ser contaminado com a Covid-19. As gotículas de saliva expelidas por um doente nas falas são postas para o ambiente e se fixam em objetos, que pode ser um balcão, uma mesa, um carrinho de supermercado, uma cadeira, um corrimão, um produto, entre outros. E muitas vezes o doente pode nem saber que está infectado. É por isso que é importante não sairmos de casa, pois no decorrer dos dias, sem os deslocamentos, vamos percebendo quem passou a apresentar os sintomas e os vírus expelidos morrem naturalmente nos objetos”, justificou a médica.

A infecção acontece quando temos contato com o vírus e levamos até nossos olhos, nariz ou boca. Ele pode permanecer em superfícies lisas, como vidro ou plástico, por alguns dias. A partir do contágio, a Covid-19 pode se manifestar, em média, após sete dias, mas dados preliminares também sugerem que a transmissão possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas. Ou seja, é por tudo isso que esse vírus é tão contagioso e devem-se evitar ambientes com aglomeração de pessoas.

Ficando em casa, o Ministério da Saúde recomenda: o não compartilhamento de copos, talheres e objetos de uso pessoal; a preferência por ambientes arejados, diminuindo o uso de ventilação artificial; a desinfecção frequente de objetos e superfícies tocados com a utilização de álcool, desinfetante ou detergente; a limpeza das mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos (pode utilizar álcool em gel ou desinfetante para mãos à base de álcool), esfregando bem a palma, o dorso e as regiões entre os dedos; utilizar lenço de papel descartável para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar; e evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

*com Agência Alagoas