Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Uma boa estrutura de campanha é muito importante e, se no passado era determinante para a vitória de um candidato, hoje não é mais.
Na eleição de 2016 em Alagoas, houve dois exemplos representativos dessa situação. Em Arapiraca, Ricardo Nezinho, que era o candidato do PMDB, e também contava com o apoio do governador Renan Filho, do vice-governador Luciano Barbosa, que já foi prefeito de Arapiraca, da prefeita Célia Rocha, de todos os ex-prefeitos e da ampla maioria dos empresários da cidade. Os outros dois candidatos com potencial eleitoral significativo eram Tarcizo Freire(PP) e Rogério Teófilo(PSDB). Freire não conseguiu ter uma base de apoio importante e Teófilo também não teve uma grande base de apoio.
As duas pesquisas realizadas pelo Instituto Paraná, registradas junto ao TRE/AL nos dias 20/8/2016 e 15/9/2016, apontavam o candidato Ricardo Nezinho com uma ampla vantagem em relação aos seus principais concorrentes, Tarcizo e Rogério. A primeira pesquisa foi publicada no dia 26/8/2016 na qual Nezinho aparece com 36,2%, Freire com 25,6% e Teófilo com 18,7%. A segunda foi publicada no dia 21/9/2016, em que os números foram praticamente iguais à primeira pesquisa: Nezinho com 36%, Freire com 25,9% e Teófilo com 20,1%. Um fato a ser destacado nessas pesquisas foi o elevado número de eleitores indecisos de aproximadamente de 30%, o que constitui uma variável importante, que poderia modificar o resultado na reta final da eleição. Aos onze dias para o pleito, quando estava praticamente certa a vitória de Ricardo Nezinho, em razão dos números apontados nas pesquisas, ocorreu uma surpresa no meio político com a vitória de Rogério Teófilo, no dia 2 de outubro, eleito com uma votação de 40389 votos(40,13%). E o segundo colocado Ricardo Nezinho, obteve uma votação de 40130(38,04%) e a diferença a favor de Rogério foi de apenas 259 votos(2,09%).
O segundo exemplo aconteceu na cidade de Junqueiro, em que duas famílias tradicionais na política, a saber, Pereira e Tavares que ao longo da história sempre estiveram em lados opostos, resolveram unir forças naquele pleito, com a indicação dos Pereiras do vice-prefeito, Carlos Augusto para concorrer ao cargo de prefeito, e a indicação dos Tavares de José Tavares Neto para vice-prefeito. Diante dessa forte aliança, imaginava-se que a eleição de Carlos Augusto seria por aclamação ou talvez por WO, supreedetimente, do nada, surgiu a figura de Leandro Silva, sem qualquer tradição política na cidade, com a diferença de apenas 3 votos, quase torna-se prefeito de Junqueiro.
Vale ressaltar que, quando os grupos políticos combinam entre si uma aliança e esquecem de combinar com o eleitor, sempre surgem resultados supreedentes.
Dessa maneira que os exemplos de Arapiraca e Junqueiro sirvam de lição para o pleito de 2020,ou seja, a eleição só termina quando é proclamado o resultado.