Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Não haverá grande renovação nas eleições de 2020 na Câmara de Maceió, porém a ampla maioria dos atuais vereadores renovará os seus mandatos. Estão até se formando alguns blocos nos partidos, para a reeleição ficar mais tranquila.

Dos 21 vereadores que foram eleitos no pleito de 2016, cinco não vão concorrer às eleições de 2020: Silvio Camelo e Dudu Ronalsa foram eleitos deputados estaduais; Tereza Nelma foi eleita deputada federal; Silvânio Barbosa foi barbaramente assassinado e Antônio Holanda não será candidato à reeleição, pois seu filho Fernando Holanda irá sucedê-lo nesse pleito.

Partidos como PSDB e PR, que nas eleições de 2016 elegeram cinco e dois vereadores respectivamente, deixaram de ter representantes na atual legislatura, pois seus vereadores estão deixando a legenda em busca de um partido que lhe dê sobrevivência política.

Surgirão novas caras na próxima legislatura na casa de Mário Guimarães, porém, mesmo sendo com novos nomes, as famílias são as mesmas que dominam há décadas o cenário político alagoano. O deputado Dudu Ronalsa apoiará a sua irmã Gaby Ronalsa, o deputado estadual Silvio Camelo deverá lançar o próprio filho ou o pai,  Arnaldo Camelo, que já foi vereador por 4 mandatos consecutivos.

Com o fim das coligações partidárias, que valerá já no pleito de 2020, os grandes beneficiados serão os maiores partidos, pois eles têm maior fundo eleitoral e maior fundo partidário para fortalecer a campanha. Além disso, há os candidatos com a maior densidade eleitoral, o que garante o sucesso desses partidos.

A última pesquisa realizada pelo Instituto Ibrape no período de 7 a 9 de março, mostra exatamente que a renovação na Câmara de Maceió será mínima. Em todas as regiões  nas quais ocorreram pesquisa para intenção de voto para vereador, os primeiros nomes que surgiram em todas as listas por região, corresponde a de vereadores de mandato, o que constata que realmente a renovação não vai ser significativa.