Foto: Cortesia ao blog
Joyce Elizabeth é influencer em Maceió

Foi aos 16 anos que a alagoana Joyce Elizabeth descobriu que estava grávida. Com a descoberta veio o susto e o começo de uma fase difícil, segundo ela. Sem o apoio de uma parte da família e do pai da criança, a jovem - que trabalhava como menor aprendiz em uma loja - precisou vencer os desafios e buscar novas maneiras de ganhar dinheiro.

“Foi um susto quando eu soube que estava grávida. Na época não namorávamos e eu não queria aceitar o que aconteceu. Precisei morar de favor na casa de uma tia, foi tudo muito difícil”, contou Joyce ao blog.

Porém, Joyce sempre compartilhou sua rotina nas redes sociais. Segundo ela, com a gravidez, surgiu a oportunidade de “incentivar outras mulheres a não desistirem dos sonhos”.

“Eu sempre gostei de mostrar o que acontecia comigo desde o Facebook. No instagram, depois que tive filho, comecei a mostrar para as meninas que gravidez não é doença e que temos que assumir o que fazemos, sem desistir de nós mesmas e dos nossos sonhos”, disse.

A alagoana de 23 anos, natural da cidade de Colônia Leopoldina, lembra que começou a carreira de influencer de uma maneira espontânea. “Quando eu tive o bebê comecei a malhar, e tirar muitas fotos. Eu trabalhava em uma empresa de telefonia e mostrava minha rotina”, comentou.

De maneira gratuita, Joyce divulgava as empresas e tinha retorno. “Elas começaram a me indicar para outras empresas”. Quando se deu conta, a alagoana já tinha ganho 100 mil seguidores. “Mas aí fui hackeada”, contou.

A influencer que é moradora do conjunto Eustáquio Gomes, bairro da parte alta de Maceió - considerado de periferia-, começou do zero com a nova conta no Instagram e conseguiu ainda mais seguidores.

Com o sucesso da influencer, Joyce abandonou o emprego na loja e hoje em dia chega a faturar mais de R$ 3 mil por mês. “Eu trabalhava 9 horas por dia em pé e ganhava um salário mínimo. Hoje eu faço um salário em uma semana ou menos, só com divulgação, às vezes preciso nem sair de casa”. 

Mas Joyce reconhece que nem só de divulgação vive uma pessoa. “Sei que a beleza passa e estou investindo nos meus estudos e vou abrir um lava jato”.

Fazendo a divulgação de empresas e os famosos provadores nas lojas é como a alagoana sustenta a ela e o filho de seis anos. Com o dinheiro que ganhou até agora, Joyce conseguiu comprar uma moto, terminou a graduação de Recursos Humanos e paga as contas de casa. “Tudo com meu trabalho e sem ter ajuda de ninguém”, reforçou.

Sobre ser considerada uma influencer da periferia, Elizabeth disse que se acha uma pessoa normal e que deseja influenciar as outras pessoas de maneira positiva. 

Engana-se quem pensa que a alagoana deseja viver para sempre sendo influencer. Para a vida, Joyce já reservou um plano B. “Estou estudando pro concurso da polícia. Caso eu passe não sei se irei continuar sendo influencer porque minha vida vai mudar e eu vou precisar ser mais discreta e reservada”, finalizou.

-

Estou no Instagram: @raissa.franca