Foto: Vanessa Alencar Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Governador participou da retomada das atividades da Assembleia Legislativa

O governador Renan Filho afirmou, durante a manhã desta terça-feira (18), que espera que a Assembleia Legislativa de Alagoas aprove o rateio do Fundeb para que seja pago antes do carnaval. Renan participou hoje da retomada das atividades da Assembleia após o recesso parlamentar e leu a mensagem governamental.

Para Renan, o rateio do Fundeb é um direito do professor, mas alegou que o Estado só pode pagar com “a autorização especifica do legislativo”.

“Eu enviei o projeto para a Assembleia e eu vi que alguns parlamentares colocaram dificuldades regimentais para aprovar antes do carnaval”, comentou Renan.

Entretanto, conforme ele, o regimento da ALE é a norma para quando há divergência. “Mas quando há convergência completa substitui o regimento. Então é importante que se aprove agora antes do carnaval”.

Renan disse que vai apelar para os parlamentares até porque “só sabe o professor que está com o bolso vazio esperando o dinheiro para pular o carnaval”.

Foto: Edinaura/ALE

“Vou fazer um apelo em nome da convergência. Se todo mundo tiver junto com o mesmo propósito podemos aprovar e o governo pagar até porque o recurso já está reservado e vai beneficiar cerca de 50 mil pessoas esperando em Alagoas”, finalizou.

Em virtude do falecimento da mãe do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor, a sessão foi presidida pelo deputado Galba Novaes.

Deputados criticaram fala de Renan Filho sobre rateio do Fundeb: “Enganação”

Os deputados Davi Maia (DEM) e Cabo Bebeto (PSL) reagiram depois que o governador Renan Filho (MDB) jogou no colo da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) a responsabilidade de aprovar o projeto de lei de rateio do Fundeb antes do carnaval.

O projeto foi encaminhado à Casa de Tavares Bastos na quarta-feira, dia 12. “Não caiam nessa falácia do governo. O governador tinha a opção de mandar esse projeto em regime de urgência e não o fez, ou solicitar que a Assembleia voltasse do recesso extraordinariamente, mas ele também não fez... Esse dinheiro é para estar no salário de vocês”, disse Davi Maia, em vídeo, se dirigindo aos professores.

Leia Mais aqui