Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

         A trajetória política de Antônio Simeão Lamenha Filho iniciou-se em 1951, quando foi eleito prefeito pelo PSD de São Luiz de Quintude, sua terra natal.

         Nas eleições de 1954, Lamenha Filho (PSD) foi eleito deputado estadual com 1.439 votos, ficando em 16° lugar das trinta e  cinco vagas em disputa.

         Lamenha Filho ainda foi eleito por mais duas vezes para deputado estadual pelo PSD. Na eleição de 1958 foi eleito com 1.994 votos, ficando em 7° lugar das trinta e cinco vagas em disputa. Na eleição de 1962 foi eleito com 1.749 votos, ficando em 17° lugar das trinta e cinco vagas em disputa.

         Lamenha filho foi um dos líderes civis do Golpe Militar de 31 de março de 1964 em Alagoas, que resultou na deposição do presidente João Goulart. Foi presidente da Assembleia Legislativa durante sete anos. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional n° 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao partido de apoio ao Regime Militar, a Aliança Renovadora Nacional (ARENA).

         Nas eleições de 1965, Muniz Falcão disputou mais uma vez o Governo do Estado, onde  foi o mais votado entre os cinco postulantes, porém a sua vitória foi esbarrada na Emenda Constitucional nº 13, promulgada em 8 de abril de 1965, que exigia a maioria absoluta de votos para a homologação do resultado e caberia à Assembleia Legislativa resolver o impasse; contudo, por vinte votos contrários ele foi derrotado. A partir de então, o Estado de Alagoas passou a ser governado por um interventor federal, General João Tubino até o momento em que os deputados estaduais escolhessem o novo governador, conforme previa o Ato Institucional nº3 que legitimou a eleição indireta de Lamenha Filho para governar o Estado e cuja posse aconteceu em 15 de agosto de 1966. Exerceu o mandato de governador até março de 1971, quando foi substituído por Afrânio Lages. Durante seu governo foi instalado o Conselho Estadual de Cultura, criada a Escola de Medicina, a TV Educativa e o Estádio Rei Pelé.

         Após o término de seu mandato de governador de Alagoas, Lamenha foi preterido pela convenção da ARENA como candidato a senador em 1974 em favor de Teotônio Vilela. Ainda foi hábil a ponto de colaborar para a escolha de Divaldo Suruagy como governador de Alagoas, entretanto divergências com diretório regional da ARENA o levaram a desligar-se do partido a abandonar a vida pública em 1977. Retirou-se para seu engenho em São Luiz do Quintude, onde passou a administrar sua plantação de cana de açúcar.

         Lamenha Filho faleceu em Maceió no dia 3 de janeiro de 1997.