Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Tom Hanks é Fred Rogers, um pedagogo apresentador de um famoso programa infanto-juvenil nos Estados Unidos que muda a perspectiva de vida do jornalista Lloyd Vogel.

"Um Lindo Dia na Vizinhança" (2019) é baseado no artigo da revista Esquire escrita por Tom Junod, incumbido de traçar o perfil do apresentador.
Ao ver o filme me peguei algumas vezes sorrindo com cara de bobo e isso é um ótimo sinal de conexão. As lágrimas também tendem a ser outro forte elo de ligação, mas não vamos entrar em detalhes, rs.
Lloyd, um jornalista investigativo designado para fazer a matéria com Mr. Rogers, era pura descrença  na imagem construída pelo homem da TV que demonstrava-se um poço de atenção e acolhimento com todos a sua volta.
O repórter parecia disposto a desvelar aquela serenidade irreal aos seus olhos.
Os conflitos familiares de Lloyd moldaram sua visão. Dessa forma, passou a enxergar a vida cinza, deixando, assim, de acreditar na existência das cores.
Porém, o contato cada vez mais íntimo com Rogers o ajuda a trabalhar seus medos e angústias. Certamente, também influenciou diretamente para resolver o passado e impedir a repetição inconsciente em comportamentos futuros.

No final das contas, você escolhe  como vai lidar com raiva, dor e mágoas. Como menciona Rogers, há maneiras de trabalhar esses sentimentos sem machucar os outros ou si mesmo. Não é fácil, mas não precisa ser.

9.0

*Instagram para contato: @resenha100nota