Veredas do Tempo

  • Fábio Guedes Gomes
  • 29/01/2020 14:28
  • Fábio Guedes

Na noite do dia 04.02, as 19 hs, no restaurante Bodega do Sertão, Av. Jatiúca, em Maceió, lançarei o livro Veredas do Tempo: ensaios analíticos de economia e administração política, produzido e publicado numa parceria entre a Hucitec Editora, São Paulo, e a Imprensa Oficial Graciliano Ramos, Alagoas.

Em linhas gerais, o livro é uma antologia de artigos, relatos, pesquisas e conferências produzida dos anos 2000 até os dias atuais. Dividido em quatro partes com trinta e um capítulos, muitos deles foram publicados em sites de debates e informações; alguns em revistas especializadas de difícil acesso do grande público; outros em capítulos de livros dispersos; e, vários serviram de base para argumentos em palestras e conferências. Por essa razão o título Veredas do Tempo

Tentei ao máximo conservar o conteúdo original dos mesmos, rescrevendo alguns trechos, atualizando palavras, excluindo termos muito fortes, para amaciar a linguagem e deixa-la um pouco mais palatável para os leitores não familiarizados com as temáticas. O esforço foi enorme, talvez à mesma altura que escrever coisas novas.

A sua filosofia, portanto, é colocar à disposição do leitor uma gama de discussões que não se concentram em temas econômicos, da maneira mais simples e objetiva. Claro que alguns capítulos não são de fácil entendimento, mas tem o interessado a vantagem de escolher aqueles que quer ler primeiro, pois estão desamarrados, são independentes, apesar dos temas, muitas vezes, se correlacionarem em função da minha ótica de interpretação, formas de apresentação e o uso de categorias e conceitos.

Assim, esse novo livro segue uma estrutura parecida com a de outro que lancei em 2014, sob o título Ensaios sobre o subdesenvolvimento e a economia política contemporânea, também pela Hucitec Editora. Alguns ótimos livros de autores renomados já foram publicados dessa forma, contribuindo com a formação e ao debate, especialmente na área econômica e política, satisfazendo o gosto de muitos leitores, inclusive o meu. Posso citar, por exemplo: A destruição não criadora (Record, 1999) de Maria da Conceição Tavares; A economia como ela é... (Boitempo, 2002) e O Brasil não cabe no quintal de ninguém (Leya, 2019) de Paulo Nogueira Batista Jr.; O animal econômico (Três Estrelas, 2018) de Delfim Netto; O elogio ao vira-latas (Companhia das Letras, 2018) de Eduardo Giannetti; e, O valor das ideias: debate em tempos turbulentos (Companhia das Letras, 2019) organizado por Marcos Lisboa e Samuel Pessoa

O seu prefácio é assinado pelo professor do Departamento de Economia da UNB, José Luis Oreiro, autor de mais de uma centena de artigos científicos em periódicos nacional e internacional, diversos livros, pesquisador sênior do CNPq e líder do grupo de pesquisa Macroeconomia Estruturalista do Desenvolvimento (conferir site oficial do pesquisador aqui). Do seu texto destaca-se a seguinte passagem:

“Os ensaios escritos pelo professor Fábio Guedes Gomes nos apresentam um intelectual – não apenas um economista – que possui duas características fundamentais: o apreço pela História do Pensamento Econômico como fonte de inspiração e de raciocínio crítico para entender o funcionamento das economias modernas e, particularmente, da economia brasileira; revelam a sua adesão, tanto no plano intelectual, como no campo político, ao Desenvolvimentismo, o qual não é apenas uma doutrina ou escola de pensamento, mas uma das formas de organização do capitalismo”.