Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O "Boteco do Helder" fala ,principalmente de amor, preto e o blog reproduz a boniteza da escrita:


"E isso não tem apenas a ver com afetividade em relacionamentos amorosos, mas tem também. Pretos se amando é a única coisa que realmente assusta a sociedade em que vivemos.
É o amor preto que lhe faz parar e ajudar uma pessoa negra que está sendo acusada de roubar algo por seguranças racistas, é o amor negro que faz as minas e manos se amarem tanto que obrigam marcas de produtos a terem que lhes contratar e pagar pra divulgar sua marca nas redes sociais, é amor preto que faz a gente escolher consumir em lugares negros.
Agora imagina se todo preto começar a pensar fora da caixa, deixar para traz os ensinamentos europeus e começar a ressignificar as suas necessidades, transformando nossos pensamentos egoístas e individuais naturais de um sistema de competição em pensamentos coletivos, pensando em nós, só uma vez no dia.
Se uma vez no dia todo preto que leu esse texto parar e fazer algo por nós, e aí vai desde uma leitura afrocentrado a organizar uma conversa sincera com o amigo ou amiga que nega pessoas negras porque acha mais fácil se relacionar com pessoas não negras. Se uma vez no seu dia você parar e repensar os seus próprios pensamentos que lhe negam o direito de amar a si mesmo, assim lindo como você é, uma pessoa negra, nosso poder de construção se tornará ilimitado.
O amor preto é a revolução mais violenta. E digo isso porque uma vez que você acorda para a condição de pessoa negra, já não há como voltar atrás. Já foi. Daí em diante você é negro e todas as suas ações precisam ser tomadas sob essa perspectiva.
O despertar é transformador mas também muito agressivo porque acordar para o racismo daquela pessoa que você tinha como amigo, machuca no começo. Mas é só no começo, acredite em mim, eu sei.
Então façamos nós mesmos a revolução mais violenta e comecemos a nos amar, por nossas características individuais e coletivas. E precisando conversar, passa no boteco e chama nós. Toda pessoa preta tem algo a ensinar e a aprender e nosso aprendizado oral é uma das armas mais poderosas em nome dessa revolução que tá cada dia mais perto de chegar. O amor preto é a revolução mais perigosa." 


Fonte:@botecodohelder