26 ex-governadores, que exerceram os mandatos nos últimos dez anos, são acusados, investigados, denunciados ou condenados por crimes relacionados aos seus mandatos e/ou suas campanhas eleitorais. Somados, os valores das investigações ultrapassam R$ 2 bilhões.

Desse total, sete já foram condenados, casos, por exemplo, de Sérgio Cabral (MDB-RJ) e Fernando Pimentel (PT-MG).
Mais de 70% das ações têm como origem investigações do MPF e da PF.

Independência de atuações dos dois órgãos, em comparação com os órgãos estaduais, é a justificativa para a quantidade de processos sob responsabilidade de procuradores e policiais federais. 

Ou seja, policias estaduais, MPEs, tribunais de contas e até o próprio judiciário teriam menor autonomia, bem ao contrário dos órgãos de controle federal porque não dependem dos Estados.