O homem sentiu falta da carteira de cédulas dentro do  metrô. Próximo a ele tinha uma mulher preta e outra branca. Ao sentir-se roubado chamou os guardas e acusou a mulher preta pelo ato.
E com diversas pessoas assistindo , em uma situação extrema de constrangimento ,a mulher  e sua bolsa foram revistadas  pelos guardas. Ela afirmava,o tempo todo, não  ser a autora do ato.
O homem branco  não arredava pé estava convicto de ser ela ,a ladra. Uma mulher preta. E [email protected] é sempre o elemento suspeito, não é mesmo?
E para resumir  a história do racismo nosso de todos os dias,  persistente e contínuo,descobriu-se que a  mulher branca, sentada lá no fundão do metrô, estava com a carteira do homem escondida no corpo.  
E as pessoas do entorno disseram para o homem: o senhor deve um pedido de desculpas para ela?
Desculpas?
O racismo é um camaleão poliglota.