Foto: Pei Fon/ Secom Maceió Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ônibus

O fim da função de cobrador dentro dos ônibus em Maceió vem provocando uma divisão entre os próprios rodoviários. O caso foi levado ao Ministério Público do Trabalho (MPT) diante da preocupação da demissão em massa de quase 1.300 funcionários que desempenham a atividade.

A preocupação da categoria teve início após um grupo de rodoviários realizarem uma denúncia de que os motoristas passariam a executar uma dupla função nos coletivos e que o próprio sindicato juntamente com Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (SINTURB/MAC) estariam de acordo com essas demissões.

No entanto, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sinttro-AL) Sandro Régis, afirmou que não existe a possibilidade dessas demissões acontecerem e que tudo não passa de “notícias falsas”.

Ao CadaMinuto, Sandro Régis informou que “o que está sendo feito no transporte de Maceió é a informatização do sistema, tirando o dinheiro para deixar só os cartões”, e que não há razões para se preocupar com demissões. “Os que estão trabalhando não precisam se preocupar porque estão 100% garantidos”, disse Régis.

O representante do sindicato contou que o que vai acontecer é uma mudança na função. “A gente colocou que tem que haver o ‘agende de bordo’ para ajudar o motorista. Agora está faltando definir, e isso nós vamos abrir uma discussão este ano, na negociação, em Março, para ter em cada carro um agente de bordo, ou Auxiliar Operacional. Aí muda tudo, ao invés de cobrador, agente operacional”, afirmou.

Sobre ter medidas sobre a situação

Régis disse ainda que já houve uma conversa com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e que a situação já está encaminhada e que não houve nenhum conflito sinalizado por parte da procuradoria. “Inclusive, teve uma audiência aonde o Dr. Luís Felipe, que é o Procurador do Trabalho disse que não estava vendo conflitos. Porque a gente levou a nossa convenção e mostramos para ele o que estava sendo feito”, contou Sandro.

“A gente se comprometeu de levar a convenção em Março já com esses pontos ajustados, dentro da convenção, para que tudo fique normal. Sobre isso a gente deu um passo muito importante, porque tem esse trauma do rodoviário que se tirar o dinheiro, acaba o emprego do cobrador. Mas a gente conseguiu convencer os empresários que mesmo sem o dinheiro é importante uma pessoa dentro do coletivo”, completou.

MPT

A reportagem do CadaMinuto entrou em contato com o MPT e foi confirmada que houve uma primeira conversa com as partes envolvidas na situação, que “o MPT está no momento estudando a melhor forma de atuação para resolver esse impasse” e que após a primeira audiência realizada em dezembro de 2019, e que novas conversas estão sendo agendadas para que haja uma resolução da situação.

Nota do Sinturb

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceio - Sinturb, esclarece que não procede a informação de demissão, essa informação não condiz com a verdade. As quatro empresas estão prezando pela empregabilidade e dando oportunidade aos rodoviários cobradores de se formarem uma profissão.  Através de uma parceria com o SestSenat com o programa de Qualificação de Cobradores, formamos em 2019, 140 cobradores em motoristas de ônibus. E neste mês, mais 40 profissionais estarão aptos na nova profissão. E não só se formarão em motoristas, estamos dando a oportunidade deles escolherem também uma nova profissão em diversas áreas nas empresas. 

Reiteramos também, que todo esse processo de qualificação está sendo apoiado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários - Sinttro.

Atualmente 70% dos passageiros de Maceió utilizam o Cartão Bem Legal como forma de pagamento. O crescimento da bilhetagem eletrônica está acontecendo a cada ano, mas a transição será feita de forma gradativa para não ter impactos nem para os rodoviários, nem pra os passageiros. Todos os processos estão sendo comunicados para a categoria.