Foto: Cortesia / Ascom Sindpol / Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Mobilização Sindpol

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) realizará uma paralização dos serviços por 72 horas, nos dias 20, 21 e 22 de janeiro, para reivindicar o aumento do piso salarial da categoria. Mobilizações também serão realizadas em locais distintos durante os três dias.

Na segunda-feira (20), a mobilização será na Central de Flagrantes, a partir da 8h, e os policiais civis devem permanecer no local durante todo o dia. Já na terça-feira (21), os agentes irão se concentrar, também a partir das 8h em frente à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), onde a diretoria do Sindpol se reunirá com o secretário Fabrício Marques, às 15h, para tratar do aumento do piso salarial da categoria.
A nova gestão do sindicato informou que nas duas mobilizações, serão disponibilizados café da manhã, almoço e lanche.

Os agentes e escrivães de polícia reivindicam a valorização por parte do Governo do Estado. A categoria pleiteia o reajuste do piso salarial pela média nacional. Atualmente, os agentes e escrivães recebem o pior piso salarial da segurança pública para uma categoria de nível superior, que realiza importante trabalho investigativo e de combate à criminalidade em Alagoas. Em 2019, os policiais civis reduziram os homicídios em 26,5%, confeccionaram 150.258 boletins de ocorrências, tiraram de circulação 1.569 armas de fogo, instauraram 16.898 inquéritos, apreenderam quase 4 toneladas de drogas, realizaram 9.894 prisões e mandados cumpridos.

O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, informa que o Sindpol vem demonstrar o quanto é importante para a sociedade o trabalho desenvolvido pelos agentes e escrivães da polícia alagoana. “O governo do Estado não valoriza e ainda desmotiva os policiais civis; devido a isso o Sindpol informa para o povo alagoano o trabalho realizado pelos policiais civis em 2019”, disse acrescentando que “o governo do Estado nega e esconde a existência dos agentes e escrivães, da importância do trabalho desses profissionais dentro da estrutura da Segurança Pública”, revela.

Na mobilização do dia 21, haverá música ao vivo e serviços odontológicos gratuitos, como limpeza de tártaro, aplicação de flúor e avaliação clínica. Profissionais também aferirão pressão dos policiais civis.
No último dia de mobilização, quarta-feira (22), a diretoria irá visitará as delegacias para reforçar a paralisação.

 

*Com Assessoria