Foto: Carla Cleto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ações de combate a dengue

Com o alerta do Ministério da Saúde de que Alagoas pode sofrer um surto de dengue a partir de março de 2020, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou que mantém cooperação técnica com todas as secretarias de saúde para evitar o crescimento de casos não somente da dengue, como zika e chinkungunya.

“Para isso, tem sido constante a realização de capacitacão e atualização das equipes de vigilância municipais, do pessoal de campo e de profissionais de saúde sobre o combate sistemático ao mosquito Aedes aegypti, bem como, prestada orientação a respeito da notificação dos casos e manejo clínico dos pacientes acometidos por essas doenças”, informou a Sesau.

Em Maceió, a Secretaria Municipal informou que o número de casos aumentou dez vezes mais em 2019, em relação ao ano anterior.  O Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) aponta que em 2018, a cidade de Maceió registrou 456 casos de dengue.  Já no ano de 2019, a capital alagoana teve 4.486 diagnósticos da doença, um aumento de 936%.

A Sesau informou ainda que tem mantido a distribuição aos municípios de insumos fornecidos pelo Ministério da Saúde e monitorado o índice de infestação predial, que é importante sinalizador de risco de epidemia.

“A Sesau reitera que, em todos os momentos, a ação mais eficaz para evitar o aumento dos casos das três doenças é a eliminação de criadouros, de modo a impedir a proliferação do Aedes aegypti nas residências e em seus arredores. Também salienta que a coleta adequada do lixo e limpeza de terrenos baldios é imprescindível para evitar a proliferação do Aedes aegypti, bem como, a correta proteção dos depósitos de água nos domicílios, evitando também o cultivo de plantas que podem acumular água, como bromélias”, completa a nota.

*Sob supervisão da editoria