Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Foi uma conversa/reunião  na SEFAZ, que invadiu a noite da quinta-feira,08/01 recheada de propostas. 
Como coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas,eu,Renata Santos e George Santoro fizemos uma releitura do ano que foi embora ,e deixou  territórios prontos para serem semeados.
Dissecamos caminhos cheios de estreitezas. Falei do diálogo  que se faz necessário entre as políticas públicas e a Secretaria de Estado da Fazenda.
A Secretária de Estado do  Tesouro Estadual , Renata Santos, assentiu e  mapeamos  trilhas, um tanto sinuosas,  e  costuramos caminhos.  
Perguntei sobre a Reforma da Previdência do estado. Afirmou que não há caminhos possíveis, ou isso, ou Alagoas repete os capítulos trágicos do Rio de Janeiro. Salários atrasados, ou não pagos. 
George Santoro, o Secretário de Estado da Fazenda,  esticou a conversa, que se fez longa,  para partilhar  sua percepção  sobre a economia  presente, dos tempos futuros do Brasil e das Alagoas, a nossa.
Ele é um grande economista, um entendedor da complexidade de  cifras e números. E peguei a deixa para ressaltar que esses números  precisam   ser transformados  em investimentos concretos,  para  garantir a aplicabilidade  das políticas públicas para igualdade racial.
Discutir sustentabilidade, como plataforma política, em Alagoas , que simbolicamente, incorpora lutas da resistência preta, é pautar , agregar, nesse contexto, a diversidade da sua população , a partir das  políticas públicas.
Política pública é a chave para a construção de um estado justo e equânime.
George Santoro e Renata Santos  são parceiros e a reunião/conversa , além de uma prestação de contas dessa parceria,  marcou a continuidade de outros e novos  projetos.
Um deles foi a representação da SEFAZ na  Roda  Preta de  Conversa:"Em nome da LEI nº 10.639/03, 17 anos depois...", com o sub tema: "Construindo plano estratégico de ações,  para além do 20 de novembro , que ocorreu  dia 09 de janeiro, no Palácio República dos Palmres, iniciativa do Instituto Raízes de Áfricas, com apoio da Secretaria de Estado do Gabinete Civil,Secretaria de Estado de Prevenção à Violência e Secretaria de Estado de Comunicação.