Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Odo, Livro Preto de Poesias, nasce a partir do Concurso de Poesias, sob o tema, realizado em agosto de 2019, pelo Instituto Raízes de Áfricas, com apoio do Governo do Estado de Alagoas.

Odo é a revolução da palavra preta e periférica. É a poesia que grita bagagens de vivências, experimentos de vida.

Odo é um livro fórceps que expulsa violências silenciadas. É o livro de poesia de jovens [email protected] das periferias alagoanas.

Para existir Odo, que significa juventude, na língua africana iorubá, contamos, primeiro com a art preciosa que jovens incorporam nas periferias, a ação inédita do registro pelo Instituto Raízes de Áfricas e o apoio institucional do Governo do Estado.

E agora,Odo, o livro, mesmo antes do lançamento na terra mãe, Alagoas dos Palmares, terá leitura afro comentada no Rio de Janeiro, por militantes, ativistas, estudiosos da causa.

A leitura afro comentada é a possibilidade de criar caminhos de diálogos, intervenção, interpretação expressiva, coletiva e significativa para  valorização da autoestima da juventude que faz poesia na periferia, levando a reflexão social.

 E para que Odo, o Livro Preto de Poesias chegasse ao Rio de Janeiro, o Instituto Raízes de Áfricas contou com o apoio do secretário de estado da educação de Alagoas, Luciano Barbosa.

Obrigada, Luciano!

A leitura afro- comentada reúne militantes e ativistas e acontece, a partir das 14 horas, sexta-feira, dia 06/12, na REDEH - Rede de Desenvolvimento Humano que fica à Rua Álvaro Alvim, n. 21, 16. andar. 

E o Instituto Raízes de Áfricas agradece a Patrícia Mourão e Xuma Schumaa a disponibilidade do espaço na REDEH.

Obrigada!