"Odo,Livro Preto de Poesia, na verdade é uma grande revolução"- afirmou o presidente da Comissão de Direito Empresarial da ABA RJ.

  • Arísia Barros
  • 05/12/2019 12:12
  • Raízes da África

O Gustavo é advogado carioca e presidente da Comissão de Direito Empresarial da ABA RJ.

Conheci o Gustavo em um jantar, na noite de 4 de dezembro, na casa da  Patrícia Mourão, no Rio de Janeiro.

Uma noite consagrada a Oyá, a senhora dona dos raios e dos ventos, que revoluciona caminhos.

Gustavo é um sujeito falante, cheio de conversas, repletas de histórias.

É advogado do Projeto Uerê, fundado por Yvonne Bezerra de Mello, que atende, anualmente 430 crianças da comunidade da Maré, favela do Rio de Janeiro.

Yvonne Bezerra de Mello é a ativista que abrigou os [email protected] sobreviventes da Chacina da Candelária. Faz 26 anos.

E falamos sobre a ação que o Instituto Raízes de Áfricas realiza no Rio de Janeiro, na sexta-feira,6 de dezembro: a leitura afro comentada, do Odo, Livro Preto de Poesia que reúne poemas de jovens [email protected] das periferias alagoanas  [email protected] em um Concurso de Poesia, sob o tema.

Gustavo falou com entusiasmo sobre o Livro Preto de Poesias denominando-o como uma grande revolução social e perguntou:- Como posso ajudar o projeto?

Fez muita questão de divulgar a ação em suas redes sociais.

A leitura comentada, que reúne militantes e ativistas, acontece, a partir das 14 horas, na REDEH - Rede de Desenvolvimento Humano, sexta-feira agora dia 06/12 à tarde.

A REDEH fica à Rua Álvaro Alvim, n. 21, 16. andar.

Obrigada, Gustavo!