Renan Calheiros vira réu no STF e diz que denúncia é "inacreditável"

  • Coluna Labafero
  • 03/12/2019 19:26
  • Coluna Labafero
Foto: O Globo/Arquivo
Renan Calheiros

Após a segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitar parte de uma denúncia contra Renan Calheiros e torna-lo réu na Lava Jato pela primeira vez, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, o senador alagoano disse que as acusações são falsas e serão arquivadas, como outras já foram por absoluta falta de provas.

Calheiros afirmou ser “inacreditável” que se investigue uma trama de Janot, Machado e Miler, e os definiu como trio da “pior espécie”.

“Já foram arquivados 2/3 das falsas acusações e esta também será por absoluta falta de provas. É inacreditável que se investigue uma trama de Rodrigo Janot, Sérgio Machado e Marcelo Miler, trio da pior espécie. A PF foi assertiva quanto à falta de provas, o delator não se lembra do episódio. Trata-se da criminalização da doação legal ao diretório de Tocantins e sobre a qual eu não tive nenhuma responsabilidade”, disse o senador.

Na votação desta terça-feira (3), o voto decisivo foi da ministra Cármen Lúcia. Também votaram em tornar Renan réu os ministros Edson Fachin e Celso de Mello. Eles considerarm que há indícios mínimos de que o senador, entre 2008 e 2010, teria pedido e recebido R$ 150 mil da NM Engenharia, contratada da Transpetro, repassados ao MDB em Tocantins, para beneficiar Leomar Quintanilha.

Está será a primeira ação penal contra Renan Calheiros na Lava Jato. Ele já teve, desde 2017, uma dezena de inquéritos arquivados a Corte. Outras nove investigações envolvendo o senador ainda estão em andamento.

Os ministros Ricardo Lewandowsk e Gilmar Mendes votam pelo arquivamento do caso.