Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Entro no Procon e espero , pacientemente, a recepcionista  voltar de um  atendimento para fazer minhas indagações.
A moça, muito jovem,  chega, se ajeita em sua cadeira giratória e espio o tempo para iniciar    o diálogo. Pergunto-lhe qual o   procedimento para formalizar uma denúncia.
E ela, antes de me responder me lança uma dose farta de enfado, entre bocejos. E movendo o corpo em uma  cadeira giratória, pergunta- A senhora tem as cópias e a original dos documentos x e y? 
 Disse que não,  e a recepcionista em gira-gira de cadeira, quase frenético ( minha tonteira aumentou. Seria um teste drive?), asseverou que sem os documentos nada seria possível.
Um tanto educada para a situação,  acatei o posicionamento da moça, assegurando  que tomaria providênncias mas, saí dali pensando  na linha tênue que separa os  excessos de bocejos e falta profissionalismo,  da má educação, e de como  muitas bancadas de recepções institucionais carecem ser qualificadas.
É isso!