Fotos: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputada Cibele Moura


A deputada estadual Cibele Moura (PSDB) proferiu, nesta sexta-feira(22), palestra durante congresso estadual do PSDB. A parlamentar dividiu painel com Solange Jurema, presidente de honra do PSDB Mulher, e Adriana Toledo, presidente municipal do PSDB Mulher. Em sua fala, Cibele defendeu a maior participação feminina na política, fez uma retrospectiva que aponta para os avanços, mas disse que é preciso mais. O evento contou com a participação do presidente nacional do partido, Bruno Araújo.

Na avaliação da deputada, a maior participação da mulher no processo político contribuirá e muito com o avanço das pautas específicas, como é o caso das polícias públicas para a categoria. Ela citou o exemplo da Assembleia Legislativa de Alagoas que tem hoje sua maior bancada feminina, com cinco mulheres, e os projetos de lei e matérias que têm sido apresentados com a temática mulher.

É o caso do projeto de autoria de Cibele Moura que veda a nomeação pelo Estado de condenados com base na Lei Maria da Penha e a indicação, aprovada pelo governo e já em prática, do funcionamento da Patrulha Maria da Penha 24 horas.

"Não podemos mudar um cenário ainda predominantemente masculino se não nos envolvermos. Somente com engajamento e nossa participação vamos conseguir transformar a estrutura das casas políticas onde a prevalência é de homens. Mas acredito que caminhamos para reverter esse quadro", afirmou a deputada.

Cibele fez uma retrospectiva do processo de engajamento da mulher no cenário político local e disse que houve avanços, mas que é preciso ampliar os números. Declarou ainda que essa mudança só acontecerá através da política.

Ela apresentou os dados para mostrar que é preciso avançar. “Dos 102 municípios do Estado de Alagoas, a gente só tem 19 prefeitas, o que representa que 18,6% das prefeituras são comandadas por mulheres. Na Assembleia, somos 18,5%, na Câmara de Vereadores de Maceió cinco mulheres. Lá elas representam 23,8%, e na Câmara Federal, saímos de zero por cento, em 2014, para 11%. A gente tem apenas uma mulher deputada federal por Alagoas”, pontuou.