Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Instituto Dr. Hemerson Casado promove, entre os dias 24 a 26 de novembro de 2019, em Maceió, o II Simpósio Internacional sobre Esclerose Lateral Amiotrófica. O evento tem como objetivo disseminar os desafios no diagnóstico e tratamento, pesquisas e assistência às pessoas diagnosticadas com a ELA. 
 
Nesta 2ª edição, o simpósio que vai trazer pesquisadores de Israel, dos Estados Unidos e Itália, será realizado no Hotel Ritz Lagoa da Anta, sendo voltado para profissionais da área da saúde, estudantes, pesquisadores, cuidadores e pessoas com doenças raras que tenham interesse em aprender um pouco mais sobre a doença. 
 
A iniciativa é do Instituto Dr. Hemerson Casado em parceria com a Universidade Federal de Alagoas, através do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), da Secretaria de Ciência e Tecnologia do Governo do Estado de Alagoas (SECTI), Laboratório de Inovação em Saúde (LAIS), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz).

Dr. Hemerson Casado, presidente do instituto que leva o seu nome, ativista e cirurgião cardiovascular, conta: ‘‘o objetivo é democratizar os vários conhecimentos para que possamos ter uma comunidade interessada e muito bem informada sobre os conhecimentos sobre a ELA. Também é muito importante para Alagoas e o Brasil, para que possamos estabelecer parcerias com outros institutos de pesquisa, universidades estrangeiras e laboratórios públicos e privados’’.
 
Sobre a ELA
 
A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma desordem progressiva do sistema nervoso que causa a morte progressiva de neurônios motor superior e inferior, levando a paralisia e morte do paciente dentro de dois a cinco anos após o início dos sintomas. 

Uma pequena parcela dos pacientes pode sobreviver por mais tempo, como é o caso do astrofísico Stephen Hawking, falecido em 2018. Na maioria dos casos, o intelecto e os sentidos dos pacientes permanecem preservados. 

Até o momento, a ELA é incurável e existe um único tratamento disponível (Riluzol®), que aumenta a sobrevida dos pacientes em apenas dois a três meses. A ELA é considerada uma doença rara e pouco se sabe sobre suas causas, e menos ainda sobre a sua progressão ao nível molecular. 

Programação
 
O evento contará com a participação de renomados pesquisadores de instituições brasileiras e internacionais, discutindo a ELA o que há de mais moderno dentre as formas de assistência médica e multiprofissional aos pacientes e as pesquisas mais promissores. 
 
O Simpósio Internacional terá uma programação com início às 8h, indo até as 19h. No primeiro dia, acontecerá o pré-simpósio, com os minicursos que acontecerão em três salas simultâneas. Com atividades que abordarão temas relacionados à doença ELA: Fisioterapia Respiratória, Fonoterapia, Avaliação e prescrição de cadeiras de rodas para pacientes, Cuidados da Enfermagem no Manuseio do paciente. 
 
Dando continuidade, a Importância da Nutrição; Atualização de técnicas em Ventilação e a importância da Fisioterapia Motora no paciente. Às 18h, dará início a cerimônia de abertura, com a participação do Dr. Hemerson Casado Gama. Encerrando com a palestra da Acary Souza Bulle Oliveira sobre a história da ELA.
 
No segundo dia, o professor Nikolay V. Dokholyan, EUA, ministrará: Towards the molecular etiology of ALS. Em seguida, o Dr. Richard S. Bedlack Jr, EUA, apresentará o  Untangling the ALS X-Files. Outro assunto que será discutido são alternativas de tratamento para a ELA, pelo professor Carlo Domênico Marrone.  
 
No último dia, contará com a presença do palestrante Stas Engel de Israel que ministrará: SOD1 structure - Toward understanding of ALS pathogenesis. No período da tarde, o professor Michal Izrael de Israel abordando sobre o  Estudo AstroX. 
 
Mais informações acesse: https://www.simposioelamaceio.com.br/