Imagem ilustrativa/Pei Fon-Secom Maceió Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Bairro do Mutange

Após a reunião entre a Defensoria Pública, o Ministério Público e a Braskem nesta terça-feira (19) ficou definido que 400 famílias terão que deixar suas casas no bairro do Mutange, em Maceió. O bairro foi um dos afetados pelas rachaduras. Ao todo, aproximadamente 1.500 pessoas sairão do local.

A retirada dos moradores foi definida após novos estudos que mostraram que mostraram que os poços de exploração da salgema estariam em situação crítica

A Braskem já apresentou à Agência Nacional de Mineração (ANM) e demais autoridades medidas para o encerramento definitivo da extração de sal e fechamento de seus poços em Maceió.

Conforme o promotor Jorge Dória ficou definido que já existem projetos urbanísticos e que o local não será mais ocupado por nenhum cidadão.

O defensor público-geral, Ricardo Melro, disse que as famílias retiradas vão receber, inicialmente, o aluguel social e, após as avaliações dos imóveis, as indenizações. "Importa registrar também, que o relatório que nos guia é o da CPRM. O que a Braskem apresentar, caso seja divergente, continuaremos lutando pela população conforme conclusão do relatório oficial", informou Melro.