Ida à praia ou piscina é sempre benéfica, mas os cuidados também são fundamentais

 

O verão começa no dia 22 de dezembro, e as altas temperaturas devem marcar a estação do ano que vai até meados de março do próximo ano.

 

Por isso, alguns sites, como o https://saudelab.com, estão reunindo informações importantes sobre a insolação, doença que afeta milhares de brasileiros expostos ao sol, principalmente quando vão à praia.

 

A insolação é uma condição provocada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor intenso. O quadro é motivado quando a temperatura corporal ultrapassa os 40º C. Quando isso ocorre, o mecanismo de transpiração, assim como uma máquina refrigeradora, pode falhar e o corpo não consegue resfriar a temperatura. A insolação é quase sempre ocasionada por motivos parecidos e recorrentes, como permanecer muito tempo exposto ao sol sem protetor solar; praticar atividades extenuantes, ou seja, que causam esgotamento, enfraquecimento físico; usar excesso de roupas, especialmente no calor; ficar sem se hidratar por muito tempo.

 

Por isso, caso o tempo de exposição tenha sido alto e a proteção ineficiente, é preciso ficar atento aos sintomas. Os primeiros sinais são dores de cabeça; tontura; náusea; pele quente e seca; pulso rápido; temperatura elevada; distúrbios visuais; e confusão mental.

 

Dependendo do tempo de exposição ao sol, os sintomas podem ser mais graves e podem incluir, entre outras coisas, palidez, convulsões fraqueza muscular e, em casos extremos, levar à morte.

 

O tratamento da insolação consiste em reduzir a temperatura corporal da pessoa e hidratar o organismo. É importante oferecer água e manter a pessoa em um lugar fresco, com sombra e ventilação.

 

Também é recomendado retirar o máximo de roupas possíveis, deixando a pessoa apenas com peças leves, para que o corpo consiga reagir. Em alguns casos, o médico pode fazer compressas de água fria e colocar panos molhados para ajudar a baixar a temperatura corporal.

 

É possível prevenir a insolação adotando medidas bem simples, com evitar permanecer sob o sol entre as 10 e as 16 horas; usar roupas leves, de cores claras e que não fiquem apertadas ao corpo; utilizar protetor solar com FPS 30 ou mais para evitar queimaduras na pele; beber muitos líquidos, para evitar a desidratação, dando preferência à água Prefira água, água de coco ou sucos de frutas naturais; Ter atenção com os momentos mais quentes do dia (das 11h às 15h)  e consumir alimentos leves, como frutas e verduras. Se você presenciar algum caso de insolação, algumas medidas podem ajudar o enfermo nos primeiros socorros até a chegada de um médico. O objetivo inicial é baixar a temperatura corporal, lenta e gradativamente.

 

Algumas dicas são manter a pessoa em repouso e recostada, com o mínimo de peças de roupa necessária para a ocasião, ingestão de água fria ou gelada ou qualquer líquido não alcoólico, e, se possível, utilizar um borrifador de água fria em todo corpo, sempre de maneira delicada. Além disso, tão logo seja possível, a pessoa deverá ser imersa em banho frio ou envolta em panos ou roupas encharcadas.

 

Em casos graves, procure atendimento médico de emergência. O melhor cenário é levar a pessoa imediatamente ao hospital ou solicitar apoio de urgência e emergência (SAMU 192).