Agência Câmara Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Marx Beltrão

O deputado federal Marx Beltrão (PSD), relator da Comissão Externa da Câmara que investiga o afundamento do solo nos bairros do Bebedouro, Mutange e Pinheiro, vai requerer oficialmente à Agência Nacional de Mineração (ANM) e também ao Ministério de Minas e Energia (MME) informações sobre o fechamento dos poços da Braskem em Maceió. A empresa apresentou à Agência e às demais autoridades medidas para o encerramento em definitivo da extração de sal na capital alagoana.

Segundo comunicado da Braskem, “entre as ações está a criação de uma área de resguardo em torno de 15 poços (clique aqui para ver o mapa) com a realocação de pessoas e desocupação de imóveis, além do monitoramento contínuo das áreas vizinhas. A estimativa é que esta área de resguardo envolva aproximadamente 400 imóveis e 1.500 pessoas. Nos demais poços, a recomendação é de que sejam adotadas medidas complementares de monitoramento, sem necessidade de realocação de moradores”.

De acordo com Marx Beltrão “a decisão da empresa é importante e sinaliza que, de fato, a atividade mineradora é a responsável pelo afundamento do solo dos bairros do Pinheiro, Bebedouro e Mutange. Mas, mesmo assim, falta mais transparência nesta medida. Por isso vamos requisitar oficialmente à Agência Nacional de Mineração e ao Ministério de Minas e Energia informações completas sobre este fechamento dos poços, inclusive estes estudos feitos junto ao instituto alemão de Leipzig. Vamos protocolar este requerimento de imediato” disse o parlamentar.

“É necessário destacar que o dano e o prejuízo não envolvem somente 400 imóveis. Há uma dimensão muito maior e muitas outras famílias, que foram obrigadas a abandonar suas casas, aguardam até hoje respostas. Precisamos saber como serão fechados os poços, quais riscos para as demais áreas fora do chamado ‘resguardo’, se as áreas do entorno seguirão habitáveis e, principalmente, quem cobrirá o prejuízo das demais famílias, como as dos conjuntos Jardim Acácia, Divaldo Suruagy e dos demais imóveis residenciais e comercias destas regiões, por exemplo”, frisou Marx Beltrão.

No comunicado oficial, a Braskem informa ainda que “irá disponibilizar os recursos necessários e todo o planejamento para a execução destas ações será feito em conjunto com a Defesa Civil e demais autoridades. Todas as medidas e ações são baseadas nos estudos que o Instituto de Geomecânica de Leipzig (IFG), da Alemanha, referência internacional em geomecânica de poços de sal, vem fazendo a partir dos dados dos sonares executados nos poços de extração de sal”.