Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O padrasto do bebê de 7 meses, que supostamente teria caído da cama, em Arapiraca, foi preso nesta quinta-feira (14), suspeito de, na verdade, ter matado a criança. A Polícia Civil (PC) revelou que o suspeito negou a autoria do homicídio.

Segundo informações da PC, na época, o homem, identificado como Wallaph Magno, de 25 anos, alegou que teria colocado a vítima em uma cama de solteiro para dormir. Em seguida, ela teria caído da cama e sofrido um traumatismo. Chegou a ser socorrida, mas acabou morrendo. A versão foi confirmada pelos familiares durante depoimento prestado na delegacia. 

O corpo de Maria Lorrany foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde o laudo cadavérico foi realizado. O resultado, que é contrário a versão do padastro, mostra que a menina foi sufocada diretamente pelo nariz e a boca. O médico legista responsável pelo exame afirmou à PC que "não seria possível esse tipo de morte por acidente ou queda."

Diante da situação, ainda de acordo com a polícia, a prisão preventiva de Wallaph Magno foi solicitada e decretada pelo juízo da 8ª vara criminal de Arapiraca. Ele foi encaminhado à Central de Polícia da cidade, onde permanece à disposição da Justiça. 

Ainda não há informações sobre a motivação do crime ou se outras pessoas tiveram envolvimento. Com isso, o delegado Everton Gonçalves, responsável pelo caso, disse que continuará com diligências para o total esclarecimento do homicídio. 

Outro crime

Wallaph Magno também é suspeito de participação no homicídio do professor Vandiele da Silva Araújo Rocha, que foi morto a facadas no último dia 30 de agosto. Ele chegou a ser preso pelo crime, mas foi liberado dias depois, sendo monitorado por tornozeleira eletrônica.