Cortesia - PC Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Erivan Alves

Foi condenado a 18 anos e 6 meses, por homicídio qualificado, Erivan Alves dos Santos. O acusado foi condenado na noite dessa quarta-feira (13) pelo assassinato do ex-secretário de Turismo da cidade de Traipu, José Valter Matos.

Segundo a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas, o réu foi condenado por homicídio qualificado por ter sido mediante promessa de pagamento, e por utilizar recurso que dificultou a defesa da vítima.

A vítima foi morta a tiros na garagem da sua casa em 2011. O júri popular ocorreu no Fórum da Capital e foi conduzido pelo juiz John Silas. A decisão cabe recurso.

O assassinato

O ex-secretário de turismo de Traipu José Valter Matos Palmeira foi executado na madrugada do dia 14 de maio de 2011, no momento em que chegava a sua  residência, localizada no Centro da cidade.

De acordo com a Polícia, Erivan teria chegado ao local momentos antes e se escondido nos fundos de uma construção vizinha. Ao chegar  e entrar na residência com seu carro a vítima foi surpreendida e morta com dois disparos de arma de fogo na cabeça.

Erivan foi preso em julho do ano passado e a primeira versão que deu à Polícia foi a de que cometeu o crime a mando do ex-prefeito de Traipu Marcos Santos. Mas, depois, o suspeito mudou o que havia dito. 

“Erivan teve uma promessa de receber R$ 4 mil em material de construção, oferecido pelo autor intelectual do crime, Marcelo do Zé Negato, para executar o secretário. Mas, após o assassinato Erivan recebeu apenas R$ 400 para ir embora para São Paulo", disse Manoel Passos à época da prisão do seu cliente.