Raíssa França/CM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Delegados Fábio Costa, Thiago Prado e Cayo Rodrigues

Quatro agentes da Polícia Civil de Alagoas foram presos suspeitos de extorsão e de integrar uma organização criminosa com atuação em feiras de Maceió. Segundo o delegado Fábio Costa é possível que uma terceira fase da operação Navalha seja realizada e que mais policiais estejam envolvidos.

Durante uma coletiva nesta terça-feira (12), o delegado Fábio Costa reforçou que outros policiais podem ter envolvimento com o grupo. “Nós estamos recebendo várias denúncias de crimes semelhantes e estamos investigando isso de forma imparcial, temos o apoio do Governo do Estado e da Secretaria de Segurança Pública. Agimos com total independência”, afirmou.

Foram presos na operação Gabriel Yuri Gomes dos Santos Rocha, Samarone Mendes Gonçalves, Austerlígenes da Silva Souto e Max Antônio de Andrade. 

Costa disse que recebeu as denúncias dos policiais com surpresa, mas que isso não mancha a imagem das instituições. Para ele, o intuito da polícia é de investigar. “Esses casos serão punidos com os rigores da lei”, afirmou.

Das quatro pessoas presas, um deles fugiu. O suspeito foi identificado como Juarez José da Silva, que acusou os delegados de tortura. Os delegados negaram e repudiaram a acusação.

Thiago Prado, também delegado do caso, disse que os envolvidos usavam distintivos da Polícia Civil e disse que o foragido deveria se apresentar já que existe um mandado de prisão contra ele. “O depoimento dele foi gravado e foi remetido ao Poder Judiciário e foi mostrado a total licitude. Esse indivíduo está foragido que se utiliza de uma falsa denúncia. Peço que ele venha esclarecer a denúncia para ser preso já que temos um mandado em aberto contra ele”, ressaltou.