Foto: Raíssa França/CM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Fábio Costa, Thiago Prado e Cayo Rodrigues

Os delegados Fábio Costa e Thiago Prado, Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), repudiaram e negaram a denúncia de tortura de um falso policial acusado de extorsão divulgou através de um vídeo. Para os delegados, "a denúncia é totalmente descabida e fantasiosa". Durante esta terça-feira (12), os delegados pediram para o que acusado foragido se apresente.

De acordo com o delegado Fábio Costa, a denúncia por parte de Juarez José da Silva foi “ridícula e fantasiosa” e que existem órgãos como a Corregedoria e o Ministério Público que podem atuar apurando essa falsa denúncia.

Fábio disse que o suspeito talvez não saiba, mas garantiu que todo interrogatório é registrado. “Acusação fantasiosa. Estamos tranquilos e respeitando os direitos de qualquer investigado”, disse.

O delegado Thiago Prado ressaltou que Juarez está foragido e pediu que ele viesse para Alagoas reforçar a denúncia de que foi torturado.

“A organização criminosa tinha envolvimento de policiais civis e militares. Eles usavam distintivos da polícia para praticar a extorsão. Um deles era o Juarez. O depoimento dele foi gravado e foi remetido ao Poder Judiciário e foi mostrado a total licitude. Esse indivíduo está foragido que se utiliza de uma falsa denúncia. Peço que ele venha esclarecer a denúncia para ser preso já que temos um mandado em aberto contra ele”, finalizou.

Terceira fase da Operação Navalha

O delegado Fábio Costa afirmou que uma terceira operação pode ser desencadeada em breve. Ele acredita que há mais pessoas envolvidas na organização criminosa. Costa também disse que a polícia está realizando um trabalho imparcial e prendendo quem está cometendo crimes. "Nossa investigação é imparcial e séria, estamos recebendo apoio do Governo do Estado e da Secretaria de Segurança Pública. Agimos com total independência", esclareceu.