Ascom Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ministro da Saúde anuncia benefícios a municípios alagoanos Municípios

Em solenidade no palácio do governo, com a presença do presidente da AMA, Hugo Wanderley , prefeitas e prefeitos, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandett anunciou investimentos de R$ 26,8 milhões, do Governo Federal, para 23 municípios do estado. O recurso possibilita a ampliação da oferta de serviços na rede hospitalar de urgência e emergência, como realização de cirurgias, exames, atendimentos, habilitação de leitos, entre outros. O ministro também apresentou o programa “Conecte SUS” que irá informatizar as unidades de saúde de todo o país para integrar as informações de saúde do cidadão.

“O recurso, que é importante para atenção primária, também contempla o atendimento à população indígena”, disse Mandetta que assinou também portarias para reforçar o atendimento bucal e das equipes do Saúde na Hora ao lado do prefeito Hugo Wanderley, representando todos os beneficiados. Outra novidade anunciada foi a ampliação de mais sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) serão assegurados para o reforço no atendimento em saúde mental em Maceió.

Ao lado da presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde- Cosems- Izabelle Pereira , opresidente da AMA também entregou ao Ministro Mandetta um relatório de pendências da saúde nos municípios alagoanos.

Do recurso disponível, para  o estado, R$ 7,3 milhões são para ampliar o valor repassado pelo Ministério da Saúde pelo Limite Financeiro de Média e Alta Complexidade (Teto MAC) para quatro municípios. As outras cidades irão receber R$ 17 milhões de recursos de programação de custeio para o atendimento. As portarias de incorporação de repasses para o teto MAC beneficiam os municípios de Água Branca, Maceió, Arapiraca e Piaçabuçu. Já os recursos de custeio irão favorecer os municípios: Belo Monte, Olivença, Olho D’Água Branca, Belém, Maravilha, São Brás, Cajueiro, Coruripe, Campestre, Messias, Mirador do Negrão, Monteirópolis, Porto de Pedras, Porto Calvo, Quebrangulo, São José da Tapera, Arapiraca e Maceió.

Por meio disso, os municípios serão capacitados para investimento nos serviços de reabilitações, acompanhamento pré e pós-operatório, UTI, transplantes, tratamento de doenças raras e obesidade, ortopedia, neurologia, queimados, cardiovascular entre outros serviços e procedimentos de média e alta complexidade. “O recurso será transferido pelo Ministério, a partir de novembro, aos municípios citados. Na atenção primária, o futuro da gestão da saúde passa pela capacidade de integrar e guardar dados para busca de melhorias da população”, conta o Ministro, ao apresentar o “Conecte SUS”, que é parte da estratégia da Saúde Digital.

Hugo Wanderley comemorou a iniciativa para conectar as unidades de saúde em uma rede de dados. “Alagoas é o estado piloto para implementação do Conecte SUS, a partir do apoio financeiro do Ministério da Saúde, para os profissionais de saúde e gestores terem mais eficiência no atendimento e continuidade ao cuidado do paciente em qualquer tempo e lugar”, explica.

O programa possibilita ao cidadão saber toda a trajetória no SUS. Quando finalizada, o cidadão terá acesso às suas informações por meio do celular, computador, ou tablet, apenas com o uso do CPF, além da decisão sobre compartilhamento de seus dados em saúde. Para o desenvolvimento, em Alagoas, o Governo Federal irá investir R$ 21,1 milhões para o auxílio a informatização da atenção primária, sendo R$ 2,1 milhões, em 2019, e R$ 18,9 milhões, em 202. O incentivo será pago para implantação e manutenção, mas, no início do processo, será disponibilizado em parcela única. A pasta irá realizar treinamento para o uso do programa e suporte para sanar dúvidas do dia a dia, já os gestores serão responsáveis por gerenciar os recursos em infraestrutura e contratação de pessoas.

Após o evento , o presidente da AMA participou ao lado da prefeita Rosiana Beltrão, representante do Nordeste na CNM, da visita ao Hospital da Mulher. O governador Renan Filho fez questão de apresentar ao Ministro o hospital que hoje é uma referência.