Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Durante o dia do show de Gilberto Gil, a comissão organizadora estima que o evento tenha reunido um público de cerca de 10 mil pessoas, um número nunca alcançado durante os dez anos do evento.

A Festa Literária de Marechal Deodoro (Flimar) superou a expectativa de público de todas as edições. Em sua 10ª edição, o evento trouxe uma nova estrutura física e científica, reunindo milhares de pessoas durante os três dias de evento.

Na programação científica, os debates reuniram centenas de profissionais e interessados nas temáticas sobre Patrimônio, divididas nas mais de 15 mesas de discussões e bate-papos, tanto no Café Literário (Claustro do Convento), quanto na Arena Literária (Pátio do Museu).

Já no Sarau, um espaço mais íntimo e pacato, dezenas de deodorenses e visitantes foram embalados por poesias e músicas no Museu casa de Marechal Deodoro.

Na 10ª edição, o grande destaque foram os shows artísticos. Na sexta-feira (01), durante o dia do show de Gilberto Gil e da cantora alagoana Fernanda Guimarães e Rock Maracatu, a comissão organizadora do evento estima que o evento tenha reunido um público de cerca de 10 mil pessoas, um número nunca alcançado durante os dez anos de Festa.

O servidor da Caixa Econômica Federal, Henrique Veith, esteve presente no evento e destacou a estrutura dos shows artísticos. Henrique ainda falou da emoção de assistir de perto o show do grande homenageado da edição, Gilberto Gil.

“Estive pela tarde no Complexo Franciscano [local dos bate-papos] e fui para os shows em uma noite. A possibilidade de assistir de pertinho o show de um dos grandes nomes da música brasileira [Gilberto Gil] é incrível. Já fui na Bienal, mas não tinha essa estrutura de shows. O ambiente é muito bonito, o esquema de palco com o público visualizando o artista e o complexo atrás, foi show de bola”, afirmou.

No sábado (02), a roda de Samba com Kel Monalisa teve que mudar de local por conta da grande quantidade de público. O projeto, realizado na Rua Fechada (Rua Barão de Alagoas) durante as duas últimas edições, teve que ser transferido de última hora para a Praça Pedro Paulino. A roda de samba sucedeu o show da banda Cordel do Fogo Encantado, encerrando com chave de ouro o evento.

De acordo com o secretário municipal de Cultura e Preservação do Patrimônio Histórico, Diego Lima, a 11ª edição da Flimar já tem o tema definido e várias ideias que vão mantar o padrão de 2019.

“Nesse ano de 2019 nós fizemos uma Flimar que vai ficar na história, e a ideia é que daqui para frente seja dessa estrutura para melhor. Estamos tornando a Flimar o maior evento literário e cultural de Alagoas, e isso é um orgulho para nós. Que venha 2020, e que tenha mais cultura e literatura para nosso povo se esbaldar”, disse.