Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A Assembléia Legislativa do estado de Alagoas aprovou,na tarde da quarta-feira, 06/11,  por unanimidade, o projeto de resolução de autoria do deputado estadual Inácio Loiola que concede  Medalha de Mérito Zumbi dos Palmares, a grande escritora Maria da Conceição Evaristo de Brito.
O pleito do Instituto Raízes de Áfricas em propor o nome de Conceição  para  a honraria foi bem aceito pelo deputado Inácio Loiola(PDT/AL)  que reafirmou a necessidade de rediscutir o racismo, não só no mês de novembro.
Fico extremamente gratificado em conceder a Medalha à senhora Conceição Evaristo por todo trabalho de reposicionamento  da literatura , sob a ótica da  diversidade brasileira,  que ela vem exercitando ao longo da sua trajetória- afirmou o deputado.
Quem é Conceição Evaristo.
Maria da Conceição Evaristo de Brito (Belo Horizonte, 29 de novembro de 1946) é uma das grandes escritoras brasileiras.
Conceição nasceu em uma comunidade da zona sul de Belo Horizonte, vem de uma família muito pobre, com nove irmãos e sua mãe, ela se mudou jovem para um lugar um pouco melhor e teve que conciliar os estudos trabalhando como empregada doméstica, até concluir o curso normal, em 1971, já aos 25 anos. Mudou-se então para o Rio de Janeiro, onde passou num concurso público para o magistério e estudou Letras na UFRJ.
Na década de 1980, entrou em contato com o grupo Quilombhoje. Estreou na literatura em 1990, com obras publicadas na série Cadernos Negros, publicada pela organização.
É mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, é doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense.
Suas obras, em especial o romance Ponciá Vicêncio, de 2003, abordam temas como a discriminação racial, de gênero e de classe. A obra foi traduzida para o inglês e publicada nos Estados Unidos em 2007. Atualmente leciona na UFMG como professora visitante.
Em 2017, Conceição Evaristo foi tema da Ocupação do Itaú Cultural de São Paulo. Em 2019, Conceição Evaristo é a grande homenageada da Bienal do Livro de Contagem.
Conceição Evaristo é militante do movimento negro, com grande participação e atividade em eventos relacionados a militância política social.
No dia 18 de junho de 2018, Conceição Evaristo oficializou sua candidatura à Academia Brasileira de Letras, entregando a carta de autoapresentação para concorrer à cadeira de número 7, originalmente ocupada por Castro Alves. Segundo o Portal da Literatura Afro-Brasileira, a autora escreveu na carta: “Assinalo o meu desejo e minha disposição de diálogo e espero por essa oportunidade”.A eleição ocorreu em 30 de agosto e o  eleito  foi o cineasta Cacá Diegues.