Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Equipes da abordagem social estiveram nos oito cemitérios públicos que prestam serviços funerários à população.

Com o objetivo de combater a prática do trabalho infantil, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) realizou durante o feriado de finados, nesse sábado (2), ações de mobilização e fiscalização nos oito cemitérios municipais. As abordagens foram acompanhadas pela Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs).

De acordo com a coordenadora de Enfrentamento ao Trabalho Infantil da Semas, Liranise Alves, o trabalho é de extrema importância, visto que ainda há contratação ilegal de crianças e adolescentes para a limpeza de jazigos. “Nós buscamos orientar para a não contratação de menores para venda de produtos, como velas e flores. Assim como buscamos deixar a população esclarecida sobre os perigos desse trabalho”, justificou Liranise.

Conforme a coordenadora, esse não é um trabalho fácil e as crianças ficam expostas a situações muito complicadas quando são chamadas para trabalhar nos cemitérios. “Existe um decreto, que é a na Lista TIP – Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil, e uma das piores formas é exatamente o trabalho nos cemitérios por causa da questão dos insetos e restos mortais”, frisou. A coordenadora ressalta ainda que mesmo realizando ações de combate ao trabalho e infantil e fazendo todo um trabalho com a comunidade, as equipes sempre encontram alguns flagrantes e realiza todos os procedimentos necessários de proibição.

Na ação, foram entregues panfletos e cartilhas sobre as leis e proibições do trabalho infantil, como também informada a lista dos Conselhos Tutelares, para que caso alguém identifique crianças trabalhando, seja denunciado ao conselho.

As equipes estiveram nos oito cemitérios públicos que prestam serviços funerários à população: São José, no bairro do Trapiche da Barra; Mãe do Povo, em Jaraguá; Nossa Senhora da Piedade, no Prado; São Luiz, na Colina dos Eucaliptos; Divina Pastora, em Rio Novo; Santo Antônio, em Bebedouro; Santa Luzia, em Riacho Doce e Nossa Senhora do Ó, em Ipioca.

As secretarias executam anualmente essa operação para coibir a prática e contam com equipes para o direcionamento dos menores. A Semas convoca a população para fazer parte, não adquirindo produtos e serviços ofertados por crianças e, assim, contribuir para o enfrentamento ao trabalho infantil na capital alagoana.

Ascom Semas