Ascom Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Rodrigo Cunha cobra ações federais para apoiar famílias do Pinheiro, Mutange e Bebedouro

O senador Rodrigo Cunha reforçou suas reivindicações por ações dos diversos órgãos governamentais para apoiar as famílias afetadas pelo afundamento do Pinheiro, Mutange e Bebedouro. Após pedido de informações do senador ao Ministério do Desenvolvimento Regional, a Pasta assegurou que os repasses do aluguel social aos moradores estão garantidos pelo menos até julho do ano que vem. É uma boa notícia, que traz alento a uma parte dos moradores. Mas ainda há muitas questões que afligem as famílias da região. 

Ontem mesmo o senador alagoano esteve com o diretor do Departamento de Geologia e Produção Mineral do Ministério de Minas e Energia, Frederico Bedran, para buscar informações sobre as providências que estão sendo tomadas para solucionar o afundamento dos bairros.

Segundo Bedran, há sonares monitorando os 35 poços de mineração de sal-gema que existem na região, e a Braskem vem entregando relatórios sobre a situação de cada um deles. Todo o trabalho está sendo acompanhado por técnicos da Agência Nacional de Mineração (ANM). 

O trabalho do Ministério de Minas e Energia acontece para garantir que a mineração que havia no local seja encerrada da forma mais segura possível. Os técnicos procuram implementar ações que tragam mais estabilidade aos bairros.

O senador Rodrigo Cunha tem mantido contato permanente com a área responsável pelas soluções relativas ao fechamento das minas, bem como os encarregados pelo socorro que vem sendo prestado e que precisa ser ampliado às famílias atingidas.

“O drama que afeta as famílias do Pinheiro, Mutange e Bebedouro me atinge profundamente porque vejo o sofrimento de quem tem que deixar suas casas com dor no coração. Por isso não tenho medido esforços para acompanhar e cobrar permanentemente soluções, para que o desfecho seja o melhor possível para cada um que vive essa lástima. O povo dessas áreas sabe que pode contar comigo, porque não vou deixar esse assunto em segundo plano”, assegurou o senador Rodrigo.