Assessoria / Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O advogado e ex-procurador geral da Assembleia Legislativa, doutor Mendes de Barros, está lançando o livro “O Galo e o Marajá na Terra do Sol”, uma coletânea de todas as suas crônicas e artigos sobre política, questões sociais e cultura, publicados desde o ano de 1975 até o final de 2018. A Editora Bagaço, sediada no Recife e uma das principais do Nordeste, é responsável pela edição. O lançamento está confirmado para o dia 31 de outubro, às 19 horas, no restaurante Le Corbu, na Rua Desportista Humberto Guimarães, 877, na Ponta Verde.

 

Mendes de Barros, além de um dos mais notáveis advogados alagoanos, é uma presença marcante na vida política de Alagoas nos últimos cinquenta anos. No início dos anos 1960 ele era o deputado estadual mais jovem do Brasil, sendo líder do governo Muniz Falcão, até hoje lembrado como um dos mais transformadores da história de Alagoas. Desde então, Mendes de Barros teve participação marcante em todos os momentos da vida do estado. Ele fez uma corajosa oposição a ditadura militar e depois da redemocratização, suas opiniões fortes o colocaram no centro das maiores polêmicas testemunhadas pela opinião pública alagoana.

 

Foram também as opiniões corajosas e a disposição para a polêmica do doutor Mendes que levaram o jornalista Noaldo Dantas, então diretor do Jornal de Alagoas, a convidá-lo para assinar uma coluna semanal naquele importante diário, então um dos dois maiores do estado. Isso foi em 1975. Desde então Mendes de Barros não parou mais de escrever. Passou por outros jornais, como a Tribuna de Alagoas e O Diário, e até o ano passado suas crônicas podiam ser lidas no semanário EXTRA.

 

O livro agora lançado pela Editora Bagaço reúne todas as crônicas e artigos publicados por Mendes de Barros ao longo de 44 anos. E impressiona como ele, há décadas, já tratava de assuntos como meio ambiente, alertando para problemas atuais como o que se ver agora por causa da Salgema. Na política, então, as crônicas de Mendes são arrasadoras. “Quem escreve o que está nas crônicas de Mendes de Barros não sobreviveria se tivesse presa uma ponta de rabo que fosse”, alerta o jornalista Gilberto Braga de Melo no prefácio do livro.

 

O título “O Galo e o Marajá na Terra do Sol” foi sacado do texto de apresentação do livro, onde Noaldo Dantas assim se refere a Mendes de Barros: “Ali vai ele, de terno branco, cachimbo a pleno vapor, indomável, amado e odiado, coerente consigo mesmo, cheio de defeitos e virtudes, um marajá na terra do sol, para uns; um galo de briga na rinha da democracia, para outros”.