Foto: Ascom Semas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Primeira conferência LGBTI+ debate democracia e direito à diversidade sexual.

Com a temática sobre a garantia do Direito à Diversidade Sexual e de Gênero para a Conquista da Democracia, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e o Conselho Municipal de Direito e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais (CMDCLGBT) iniciou a 1ª Conferência Municipal de Políticas Públicas de Direitos Humanos LGBT+ de Maceió, no auditório da Universidade Tiradentes (Unit), em Cruz das Almas.

Participaram da abertura da conferência a diretora de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos da Semas, Celiany Rocha, o Superintendente de Políticas para os Direitos Humanos e a Igualdade Racial, Mirabel Rocha, o presidente do Conselho Municipal de Direito e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais (CMDCLGBT), Jadson Andrade, e a Assessora Parlamentar Fabíola Santos e a representante da Comissão da Diversidade sexual da OAB – AL, Raquel Ferreira.

Ainda na abertura, a diretora de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos da Semas, Celiany Rocha, falou sobre a importância da conferência no âmbito da gestão pública e direitos humanos. “Tenho certeza que todos os avanços que tivemos durante a gestão só foram possíveis em virtude da força de vontade das pessoas que estão à frente do movimento, trabalhando em conjunto conosco, buscando garantir os direitos e a igualdade a todos”, disse ela.

Para encerrar o primeiro dia do evento, a professora Doutora Viviany Galvão palestrou a respeito da garantia do Direito à Diversidade Sexual e de Gênero para a Conquista da Democracia.

De acordo com o presidente do Conselho Municipal de Direito e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais (CMDCLGBT), Jadson Andrade, a conferência é fundamental para difundir de forma saudável os debates a respeito da diversidade sexual. “É um evento enriquecedor para debatermos juntos como sociedade. É para a gente conversar e trocar essa energia de igualdade e justiça que a gente tanto precisa. Não queremos direitos a mais ou a menos, queremos direitos iguais”, ressaltou.

A conferência também vai abordar a elaboração de uma Política Municipal LGBTI+, na perspectiva constitucional da universalidade, da integralidade e da equidade no acesso, com pactuação interfederativa e participação social. A convenção será dividida em três eixos e abordará as políticas públicas de educação, trabalho, emprego e renda, educação e prevenção e combate à violência.