Foto: Reprodução / TV Senado Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros

Durante a votação do texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reforma a Previdência, na noite desta terça-feira (01), o senador Renan Calheiros voltou a criticar a proposta do governo federal e enfatizou a necessidade do crescimento econômico.

Para o senador alagoano, não existe um regime sustentável de previdência social sem que haja o crescimento econômico como um grande aporte. Renan Calheiros votou contrário a PEC, que recebeu 56 votos a favor, 19 contra e nenhuma abstenção.

“Como essa Previdência e essa reforma já vem marcada pelo fato de mandar a conta para os mais pobres, prejudicando a maioria dos brasileiros, desde já queria colocar minha posição contrária”, afirmou Calheiros.

Os senadores agora começam a discutir os dez destaques apresentados pelas bancadas. A maioria dos destaques é supressiva – retira pontos do texto aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) – e precisam de 49 votos dos 81 senadores para serem aprovados.

No entanto, partidos da oposição apresentaram destaques para alterar o texto-base, o que exigiria a volta da PEC para a Câmara.

A PEC precisa ser aprovada em segundo turno para ser promulgada, e as novas regras de aposentadoria, pensões e auxílios passarem a valer.

*Com Agências