Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Presidente da Comissão de Educação, deputado Marcelo Beltrão, alertou os prefeitos e secretários municipais de educação para o Golpe do Diploma.

A Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Turismo da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Marcelo Beltrão, esteve reunida com prefeitos e secretários municipais de educação no auditório da Associação dos Municípios Alagoanos para alertar os gestores sobre o Golpe do Diploma. A reunião, realizada na manhã desta segunda-feira (30), foi um dos primeiros encaminhamentos após a formação do Grupo de Trabalho em defesa das vitimas do Golpe do Diploma.

Durante a reunião, o presidente da Comissão, deputado Marcelo Beltrão, repassou aos presentes informações sobre como funciona o golpe nos município e sobre como a Comissão vem atuando sobre o assunto, e pediu a parceria dos prefeitos e secretários neste processo.

“Nas nossas andanças nos municípios onde participei de audiências públicas e sessões especiais ouvimos diversos relatos de estudantes e ao todo tivemos vinte e três instituições citadas por eles que ofertaram ou estão ofertando cursos, que eles não receberam diplomas destas instituições ou que foram colocadas como solução para que eles terminem os cursos e recebam seus diplomas. Verificamos pelo Emec e constatamos que algumas já foram descredenciadas pelo MEC, outras não possuem credenciamento para ofertar cursos fora da sua sede e algumas sequer constam no Emec”, disse o deputado.

Após apresentar dados já levantados sobre o Golpe do Diploma nos municípios, o presidente da Comissão pediu a parceria dos municípios para que eles possam, por meio das secretarias de Educação, fazer o levantamento das faculdades irregulares que atuam no município e do número de vítimas. Além disso, a comissão orientou que os prefeitos e secretários de educação suspendam a cessão de prédios públicos para a instalação de faculdades irregulares.

“Estamos aqui não só para alertar vocês gestores, mas para propor que sejam nossos parceiros. Nós entregamos hoje um ofício para a AMA e Undime formalizando esta solicitação e estamos sugerindo, inclusive a quebra de parceria na cessão de prédios públicos cedidos para as faculdades. Nossa prioridade no momento é parar com esta oferta. Além disso, orientar as vítimas que constituam advogado ou procurem a Defensoria Pública que faz parte do grupo de trabalho e se colocou à disposição”, ressaltou Marcelo Beltrão.

Além de parar com a oferta, a Comissão está provocando a Uneal e o Governo do Estado para que eles possam oferecer um programa especial para os alunos lesados conseguirem se formar de forma legal.

“Para que isso siga adiante nós precisamos saber quantas são as vítimas, onde elas estão e qual o curso. O levantamento destas informações é o ponto inicial para a busca de uma solução”, finalizou o deputado.

O presidente da AMA, prefeito Hugo Wanderley, colocou a instituição à disposição e disse que a AMA será parceira da Comissão de Educação neste trabalho.

“Conte com a AMA. Vamos entrar em contato com os prefeitos e colocar nossa equipe para trabalhar neste levantamento de informações. Não podemos permitir que este golpe continue acontecendo em nosso estado”, disse o presidente.

Representando a Undime, a secretária de Educação de Maceió, Ana Dayse, também colocou a instituição à disposição.

Participaram da reunião os deputados Jó Pereira, Davi Maia e Cibele Moura, também membros da Comissão de Educação, além do vice-reitor da Uneal, Anderson Barros e a preside da Câmara de Educação Superior do Conselho Estadual de Educação, Mary Vidinha.