Deputada estadual inicia projeto para mudar quadro negativo da educação em AL

  • Redação*
  • 24/09/2019 10:11
  • Notícias
Foto: Assessoria
Deputada Cibele Moura

Para acompanhar de perto a situação das unidades de ensino de Alagoas e para mudar o quadro negativo da educação estadual, a deputada estadual Cibele Moura (PSDB) iniciou um projeto chamado “Rota da Educação”. A iniciativa propõe trabalhar com base nos projetos de lei e indicações do estado, além de poder contar com o apoio de gestores públicos que possam contribuir com melhorias no atual quadro na área do ensino em Alagoas.

O principal objetivo, segundo a deputada, é acompanhar de perto a situação das unidades de ensino e com base nas suas demandas, ouvir educadores, diretores, alunos e toda a comunidade escolar para que medidas sejam tomadas em benefício da rede de ensino, ajudando a mudar o quadro negativo da educação estadual.

“Fomos ouvir as demandas, sugestões de estudantes e educadores e ver de perto a situação em que funcionam as escolas. A partir dessas visitas, vamos poder trabalhar em projetos de lei e uma série de indicações a serem encaminhadas ao governador do Estado e a gestores estaduais para que solucionem problemas que vão da estrutura física, à falta de material e equipamentos”, informa Cibele.

Nessa primeira fase, foram visitadas as escolas Professora Julieta Ramos Pereira, no município de Paripueira; Escola Professor Sebastião Felisberto de Carvalho, na Barra de Santo Antônio; Professora Maria Margarida e Professor Messias de Gusmão, em São Luís do Quitunde.

“Fomos muito bem recebidos pelos diretores, que nos mostraram tudo, possibilitando, inclusive, a nossa entrada em salas de aula para conversar com os estudantes. Os alunos nos deram muitas sugestões”, ressaltou Cibele Moura ao destacar que será elaborado um documento, após as visitas, que será a base para as ações parlamentares na Assembleia.

“Nossa equipe está preparando um relatório que avalia a estrutura da escola, manutenção, limpeza, utilização de equipamentos, computadores, as salas de aula, a carteira escolar e até se existem profissionais nas diversas áreas, tanto na parte administrativa quanto na prática, de execução das aulas. Inclusive, tratamos sobre ações comuns, tipo: vimos que duas escolas tentaram fazer uma horta e não conseguiram. Será uma avaliação geral da situação”, pontuou a deputada.

*com informações da Assessoria