Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Os servidores da Secretaria Estadual de Educação envolvidos na Operação Casmurros, que investiga desvios de recursos públicos do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação Básica (FUNDEB), foram afastados dos cargos temporariamente por 30 dias.

As portarias foram publicadas no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (11), um dia após a ação policial. O cargo do diretor presidente da AMGESP,  que era ocupado Wagner Morais de Lima, foi designado para servidora Gabrielle Tibúrcio.

Os outros afastados foram:  Sérgio Paulo Caldas Newton, que exercia cargo em comissão de secretário Executivo de Gestão Interna; José Queiroz de Oliveira, da Comissão Especial de Transporte Escolar (Cetre); Tércio Alexandre da Silva, assessor especial do Conselho Estadual do Fundeb, José Enéas dos Santos, assessor técnico; George de Souza Paes Júnior, sub-chefe de Frotas; e Liliane Damasceno Rocha Pereira, chefe de Aquisição.

Por meio de nota, a Secretaria de Educação informou que o estado foi “obrigado” a manter o contrato com a empresa investigada.  Mesmo com o afastamento, o governo não publicou os nomes dos servidores que irão substituir os servidores.