Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Trabalhadores dos Correios em Alagoas

Os funcionários dos Correios em Alagoas entraram em greve por tempo indeterminado, nesta quarta-feira (11), devido à proposta de privatização da estatal colocada pelo governo federal. As agências em toda capital amanheceram os adesivos comunicando a paralisação.

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Alagoas argumenta que foram realizadas diversas tentativas de acordo, mas a empresa não entrou em um acordo comum, como havia ajustado com o Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Os trabalhadores estiveram reunidos em assembleia nesta terça-feira, onde discutiram também a manutenção dos direitos conquistados no acordo coletivo da categoria. Os trabalhadores querem um reajuste maior que os 0,8% propostos pela empresa e questionam, sobretudo, o fim da possibilidade de adicionar pais como dependentes no plano de saúde.

O indicativo de greve veio depois que os Correios rejeitaram na última sexta-feira 30 uma proposta do Tribunal Superior do Trabalho que sugeria prorrogar por mais 30 dias o acordo coletivo com os funcionários, que manteria as condições anteriores.

A paralisação ocorre a nível nacional.

 

Através de nota, a empresa Correios informou que participou de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões.

Entretanto, as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso na empresa.

Confira nota na integra:

Esclarecemos que Correios participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões. Mas as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso na empresa.

No momento, o principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população.

*Com informações de Agências.