Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

No Dia Nacional de Combate ao Tabagismo, celebrado nesta quinta-feira (29), Alagoas tem o que comemorar, uma vez que, as ações viabilizadas pelo Programa Estadual de Controle do Tabagismo, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, levaram à redução do número de fumantes. O índice de tabagistas acima de 18 anos no Estado, que em 2017 era de 7,6%, caiu para 6,9% em 2018, conforme dados apresentados pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Entre as medidas que têm contribuído para redução dos fumantes em Alagoas, está a implantação dos Núcleos de Controle do Tabagismo nos municípios alagoanos, além das capacitações e palestras que são realizadas em empresas, escolas e outros estabelecimentos. A assessora técnica do Programa Estadual de Controle do Tabagismo, Vetrúcia Teixeira, explicou que todas as ações realizadas pela Sesau, visam prevenir a iniciação ao tabagismo, promover a cessação de fumar e, sobretudo, proteger a população da exposição à fumaça ambiental do tabaco.

“Atuamos prestando assistência técnica aos 102 municípios, realizando eventos de conscientização em diversos pontos do Estado e mostrando os males que o uso do tabaco causa à saúde. São várias doenças que o tabagismo provoca, seja para quem faz uso do cigarro ou para quem convive com fumantes. Então abandonar esse vício é imprescindível para ter uma expectativa de vida maior e com saúde”, salientou Vetrúcia Teixeira.

Atualmente em Alagoas existem 24 municípios em atendimento ao fumante que está disposto a parar de fumar. Eles estão instalados em Arapiraca, Palmeira dos Índios, Capela, Craíbas, Coruripe, Pilar, Feliz Deserto, Jacaré dos Homens, Junqueiro, Murici, Pão de Açúcar, Paulo Jacinto, Penedo, Piaçabuçu, Taquarana, Teotônio Vilela. Viçosa, Messias, Campo Grande, Belo Monte, Belém e Ibateguara. O serviço também está presente em Maceió, no Hospital Universitário e nas unidades de saúde Aliomar Lins (Benedito Bentes), Centro de Saúde da Maravilha, Durval Cortez (São Sebastião), João Paulo II (Jacintinho) e Dídimo Otto, além da Uncisal e Unidade Básica São Francisco de Paula (Grota do Arroz).

Custos - Entre 2016 a março de 2019, o Sistema Único de Saúde (SUS) investiu R$ 106.405.222,09 para o tratamento de pacientes com doenças tabaco relacionadas em Alagoas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece o fumo como a principal causa de doenças no mundo, a exemplo dos diversos tipos de câncer que têm seu risco aumentado pelo cigarro, como os tumores na boca, laringe, esôfago, pâncreas, intestino e outros. E, ainda, há o surgimento de doenças como consequência do fumo, a exemplo do Acidente Vascular Cerebral (AVC).