Foto: Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Professor Josealdo Tonholo

O reitor eleito da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Josealdo Tonholo afirmou que é preciso fazer inovação para que a Universidade continue mesmo após os contingenciamentos do Governo Federal. O professor venceu em primeiro turno as eleições na última sexta-feira (09) e aguarda que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) escolha o nome da lista tríplice para que ele seja nomeado.

Em entrevista ao programa Conjuntura, da Tv Mar, Josealdo comentou sobre os contingenciamentos e futuros planos para a instituição.

Segundo ele, dinheiro é fundamental, mas a reitoria não pode se assustar. “Em todos os últimos governos os cortes existiram. É preciso fazer inovação para que a Universidade funcione”.

Tonholo disse que as universidades sofrem os males do contingenciamento, mas que acredita que a instituição alagoana tem competência técnica para continuar.

“Já fui gestor em uma época complicada, mas é fundamental que a Ufal não deixe de cumprir o seu papel social”, ressaltou o reitor eleito.

Tonholo disse que a Universidade precisa continuar com bons resultados e que tem como objetivo levar algumas mudanças para a instituição.

“Um dos exemplos é a segurança que está muito crítica e é reflexo da sociedade. É preciso repensar o esquema de vigilância, videomonitoramento, controle de acesso e resgatar o fórum permanente de segurança”, afirmou Tonholo.

Outro ponto que o novo reitor quer é trabalhar para uma melhor infraestrutura. “A infraestrutura que hoje existe não comporta o crescimento da Ufal. Existem prédios que precisam ser concluídos e processos de licitação que ainda estão ocorrendo. O prédio de Penedo, por exemplo, é um dos maiores problemas de infraestrutura que temos”, finalizou Josealdo.