Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Salloma Jovino Salomão, artista, doutor em História  formado pela PUC-SP e diretor na empresa Aruanda Mundi, escreve:


"Já tive pai e ele era negro, afetivo e presente. Dureza amorosa, não gargalhava, ria apenas. Foi ele quem primeiro me falou sobre o orgulho e a dor de ser um homem preto. Ele quem colocou no meu colo um instrumento. A primeira e única vez que o vi chorar estava desempregado e muito triste, sem sair de casa há vários dias. Chorou miúdo num quarto quase escuro. Nunca incentivou a desonestidade, a violência, a vingança ou desprezo por outros. Na escolarização que lhe foi negada, encontrou na leitura uma chave do mundo. Antônio nasceu em Abril de 1921 e se foi em maio de 1993.'