Ascom Adeal Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Casos de raiva animal são registrados em Alagoas

Dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), mostram que somente no primeiro semestre de 2019, oito casos de raiva animal foram confirmados no estado de Alagoas. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, seis destes casos foram registrados em animais bovinos, um caso em animais caprino e um outro em equino.

Em comparação com o ano anterior, a Sesau informou que em 2018 apenas cinco casos da doença foram registrados, sendo quatro casos em animais bovinos e um caso em morcego.

Ainda segundo informações da secretaria, os municípios de Piaçabuçu, Chã Preta, Penedo, Campo Grande, Palmeira dos Índios, Viçosa e Quebrangulo, foram as cidades onde tiveram mais casos da doença.

Questionada sobre o que a Secretaria de Saúde tem feito sobre o assunto, o órgão informou que como não há o registro de casos da doença em cães e gatos e nem em humanos, as ações para coibir o aumento de casos de raiva em bovinos, caprinos e equinos, é de responsabilidade da Agência de Defesa Animal (Adeal), que está desencadeando uma série de ações.

Já segundo a Adeal, a população em torno de propriedades criadoras de animais é mais vulnerável ao contágio, devendo permanecer vigilante quanto ao contato com animais silvestres, em especial com morcegos caídos, contato com animais apresentando sinais clínicos da doença sem equipamento de proteção individual.

Agência de Defesa Animal informou ainda que todo caso notificado à Agência é atendido em caráter de emergência, onde o Serviço Veterinário Oficial (SVO) vai até o local realizar o exame do animal e, caso apresente sinais característicos da Raiva, realizar coleta de material para o laboratório central de Alagoas.

Ainda de acordo com o órgão, caso o animal seja diagnosticado positivo, o veterinário que prestou atendimento à propriedade, retorna ao local para realizar um trabalho de conscientização dos residentes e vizinhos, além de realizar exame físico-clínico nos demais animais da mesma propriedade.

A agência de defesa animal recomenda ainda que é de extrema importância que a população ou médicos veterinários notifiquem qualquer suspeita de herbívoros infectados pelo vírus ao órgão, através do formulário disponível no site da Adeal.