Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Concurso propõe valorizar e incentivar a criatividade literária dos jovens negros e periféricos de Alagoas, que, historicamente, tem um espaço reduzido no universo da literatura.

Para incentivar a participação dos jovens negros e periféricos no “Odo-concurso Preto de Poesia para Jovens da Periferia”, o Instituto Raízes de Áfricas em parceria com o Instituto Ilê Axé Legionirê Nitô Xoroquê realiza, nesta terça-feira (23), o Xirê com Poesia no bairro do Benedito Bentes, em Maceió, às 16h.

Com apoio do Governo de Alagoas, o concurso propõe valorizar e incentivar a criatividade literária dos jovens negros e periféricos de Alagoas, que, historicamente, tem um espaço reduzido no universo da literatura. 

“O Odo-concurso não é sobre segregação. Nós apenas queremos dar oportunidade aos jovens da periferia que precisam abraçar sua identidade negra, que sejam parte de uma cultura de resistência. Queremos garantir que suas vozes estejam sendo ouvidas”, declarou Arísia Barros, coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas.

O Xirê com Poesia propõe reunir jovens pretos em uma roda de diálogo para tratar de assuntos como juventude, periferia e ressignificar o papel da palavra-poesia como discurso de resistência a opressão racista.

As inscrições para a primeira edição do Odo-concurso já estão abertas e acontecem até o dia 30 de Julho. O processo seletivo tem duas categorias: de 14 a 17 anos e 18 a 21 anos, com prêmios em dinheiro para o 1º, 2º e 3º lugar. Além disso, serão escolhidos 30 poemas que farão parte da antologia Odo-Livro Preto de Poesias, publicado por meio da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom). 

Para maiores informações sobre o regulamento e inscrições acesse o link: www.abre.ai/concursopretodapoesia